O que fazer na Bolívia (do céu ao inferno em 8 dias – relato de viagem)

O que fazer na Bolívia (do céu ao inferno em 8 dias - relato de viagem)

Vai viajar para a Bolívia? Já sabe o que fazer lá? Vou contar para vocês como foi minha viagem e a minha aventura por lá.

Primeiro vamos ao roteiro da Bolívia:

  • Curitiba com escala em São Paulo para Santa Cruz de la Sierra (Avião pela GOL)
  • Santa Cruz de la Sierra para Sucre (Avião pela Amaszonas)
  • Sucre para Uyuni (Ônibus noturno pela 11 de Julio)
  • Salar de Uyuni (Tour 4×4 de 3 dias pela Andes Salt Expeditions)
  • Uyuni para La Paz (Ônibus noturno pela Omar Tour)
  • La Paz (Tour City, Deathroad e Chacaltaya)
  • La Paz para Santa Cruz de la Sierra (Avião pela Amaszonas)
  • Santa Cruz de la Sierra com escala em São Paulo para Curitiba (Avião pela GOL)

Vamos ao relato da dessa aventura na Bolívia?

Quando decidi viajar sozinha para a Bolívia, além ouvir a palavra louca por praticamente todos que me conheciam, também ouvi dizer que a Bolívia era o pais do perrengue e que tudo que pode dar errado vai dar, então fui com a mente aberta, pronta para qualquer coisa.

E sabe quando tudo dá muito certo que até assusta? Tipo a calmaria antes da tempestade, pois é, foi exatamente o que aconteceu, mas calma, vamos por partes:

Três dias antes da viagem para a Bolívia recebi um e-mail da Amaszonas dizendo que meu voo para Sucre seria antecipado em meia hora e que eles não se responsabilizariam caso eu perdesse outros voos devido a esse imprevisto. OK! Pensei: ah.. então é assim que as coisas funcionam na Bolívia. Meu voo chegaria em Santa Cruz de la Sierra as 13:30 e o voo para Sucre estava programado para as 16:00, tudo certo!

Nunca durmo em avião/ônibus, mas nesse voo misteriosamente dormi o voo inteiro. LUCKY. Já no aeroporto depois de pegar a bagagem você passa pelo corredor da sorte, literalmente, aperta o botão, se for verde: pode passar, vermelho: abre toda a tua bagagem que vamos revistar tudo. Apertei: verde! LUCKY! Sai rindo das 10 pessoas antes de mim que tiraram vermelho.

Cheguei e fui trocar meus reais por bolivianos, péssima cotação, mas eu não pretendia parar em Sucre e queria chegar com o suficiente para fazer o Salar pelo menos em Uyuni, depois já fui fazer check-in, tudo certo, usei a wi-fi para tranquilizar minha família e parti para Sucre, cheguei em Sucre o guardinha até me passou um chaveco, mal olhou meu passaporte.

Quer viajar para o exterior e não sabe nada de inglês? Ensino alguns truques e dicas no meu e-book gratuito de inglês para viagens e mostro como viajar para o exterior sem falar inglês. Clique aqui para baixar.

Do aeroporto fui direto para a estação de ônibus, taxista simpático até deu uma voltinha a mais para me mostrar Sucre, quando chegou na rodoviária, pensei que tava no Paraguai, ele apontou pra onde eu tinha que ir e fui com a cara e a coragem, parecia que as pessoas estavam falando alemão, eu não entendia bulhufas e olha que eu pensava que meu espanhol era ok, mas parecia outro dialeto, só lembrava que o nome da empresa que fazia Sucre > Uyuni era 6 octubre e consegui chegar até lá, usando mimicas e portunhol consegui falar que queria uma passagem para Uyuni, e ela só falou: no no no tiene más.

Confesso que senti um gelinho na espinha, não queria dormir em Sucre, ia me fazer perder um dia. Um senhor viu minha cara e me ajudou, já que ninguém me entendia, me levou em todas as agencias e ia perguntando, até que chegamos na 11 de julio, consegui uma das ultimas passagens da noite, saia as 20:00 horas, Yay obrigada vovozinho!

Só esperar, e esperei e esperei e nada do busão! Como isso minha gente? Perguntei pro carinha da portaria e ele falou que ia me avisar quando chegasse, e nada, até que faltava 5 minutos, me desesperei, fiz o cara me deixar entrar e procurar o ônibus, e não é que achei?

Atrás de todos os outros, não ia parar lá pra mim nunca, mas pera aí, o ônibus já tava partindo, sem mim! Pernas pra que te quero! Corri até ficar sem ar (isso foi uns 3 metros, sim a altitude maltrata) as pessoas avisaram o motorista e o busão parou, LUCKY, não perdi o ônibus por meio minuto!

Guardou minha mala, assim no meio das outras sem etiqueta sem nada, e partimos rumo a Uyuni, o ônibus até que era confortável para os padrões da Bolívia, pelo menos eu dormi como um anjo, só acordava quando entravam os vendedores ambulantes oferecendo salgados dentro do ônibus, e não, não é brincadeira.

Chegamos em Uyuni as 4:30 da manhã, e quando desci e peguei a mochila, reparei que estávamos no meio do nada, no escuro, não era uma rodoviária, era do meio da estrada. Aí Jesus e agora? As agências que fazem o salar só abrem as 8:00 e tava um friozinho legal. No meio das cholas avistei um cara com uma mochila enorme nas costas, veio me dar oi, era um alemão que misturava inglês, espanhol e português, também ia fazer o salar, na mesma hora chegou um outro rapaz oferecendo café da manhã, aquecedor, wi-fi e banho quente em um restaurante ali perto até as agencias abrirem, LUCKY sim ou com certeza? Seguimos o cara e ouvi pessoas falando português, sim brasileiros! LUCKY! Eram 2 casais, pessoas gente finíssima, e lá fomos os 6 rumo a aventura!

Gastos dia 01 na Bolívia:

  • Passagem de avião de Curitiba para Santa Cruz = 666,70 reais (promoção linda da Gol)
  • Passagem de avião de Santa Cruz para Sucre = 42,00 dólares (comprei no Brasil ainda)
  • Cambio em Santa Cruz 800,00 reais  a 1,5 = 1200,000 bob
  • Táxi aeroporto ao terminal de ônibus = 30,000 bob
  • Passagem de ônibus de Sucre para Uyuni = 60,000 bob
  • Taxa terminal de ônibus = 2,500 bob

O que fazer na Bolívia (do céu ao inferno em 8 dias - relato de viagem)

Chegamos no restaurante, lugar super agradável e quentinho tomamos café e esperamos o tempo passar nos conhecendo e na wi-fi, tomamos banho e fomos pesquisar os valores do salar nas agências, como estávamos em 6, e um tour fechado são de 6 pessoas, conseguiríamos barganhar o preço.

Depois de varias agencias, escolhemos a Andes Salt Expeditions, tinha ótimas recomendações no tripadvisor e conseguimos um preço bom, mas na hora de fechar ela disse que não podíamos levar as mochilas, pegaríamos apenas no final do tour, isso estava fora de cogitação, como ficaríamos 3 dias no deserto, na Bolívia, sem as mochilas, e deixar em um lugar que não sabíamos nada a respeito? De jeito nenhum. Viramos as costas e saímos, deu 2 minutos ela estava correndo atras de nós dizendo que tudo bem, que podíamos levar! 😀 Ok então, negocio fechado.

Ainda faltava 2 horas, a saída era as 10:00 então fomos comprar folha de coca, comprei um pacote pela bagatela de 5,000 bob que durou a viagem toda, também comprei água e snacks para os 3 dias e procurar uma casa de cambio com uma cotação decente, sem sorte, a melhor cotação que encontramos foi 1,60, troquei mais um pouquinho. Tudo pronto! E partimos rumo ao deserto.

Todos os guias para o salar só falam espanhol, nosso guia era o seu Gregório, um senhorzinho super simpático que se esforçava para entender nosso portunhol e levou até um dinossauro para fazermos as fotos divertidas.

Primeira parada: cemitério de trem, um lugar lotado, pois todas os carros das agências saem ao mesmo tempo para o deserto, então foi difícil conseguir tirar uma foto sem ninguém.

Depois paramos para o almoço num restaurante todo de sal, lugar fofo e a comida tava ok, depois fomos em frente na imensidão branca. Salar de Uyuni simplesmente indescritível, vou guardar pra sempre na memória, coisa linda demais, parecia que não tinha fim, lembre de levar roupas leves pois faz calor durante a tarde e cuidado para não pular muito para as fotos, pois a altitude castiga e mastigue folha de coca sempre que sentir necessário, ajuda muito!

Tiramos muitas fotos lindas e então fomos para o por do sol mais aguardado da viagem, que seria no salar, chegamos adiantados no nosso lugar estratégico, então ficamos conversando e ouvindo música, até ver aquela maravilha da natureza, quando você ver o por do sol naquela imensidão branca vai ser difícil acreditar que é real, mas é, e você teve a chance de presenciar, seja grato!

Aproveitei aquele momento e também tirei algumas fotos maravilhosas daquele espetáculo, depois fomos para o hostel, lugarzinho escondidinho no vilarejo Jon Ruan, tomamos um chá com biscoitos, um banho quente e logo saiu a janta, muito boa e fomos dormir cedo.

Gastos dia 02 na Bolívia:

  • Café Nonis = 25,000 bob
  • Banho = 15,000 bob
  • 4 litros de água e snacks para o salar = 26,000 bob
  • pacote de folha de coca = 5,000 bob
  • Tour Salar de Uyuni = 650,000 bob (todas as refeições inclusas)
  • Casa de cambio a 1,6 = 300,00 reais = 460,000 bob
  • Toca linda de Uyuni = 20,000 bob
  • Luva = 20,000 bob
  • Lembrancinha de lhama = 5,000 bob
  • Banheiro = 5,000 bob
  • Banho = 15,000 bob

Na manhã seguinte tomamos um café reforçado e partimos para ver as lagunas, a primeira foi a Laguna Cañapa, linda refletindo o céu, depois foi a Laguna Hedionda onde tinha uns flamingos lindos, paramos lá perto para o almoço, e o nosso guia falou que estávamos comendo figado de flamingo, quase passei mal, até que ele disse que era brincadeira, ah seu Gregório tem seu pezinho na zoeira!

Depois fomos ver a Laguna Honda, no caminho vimos algumas raposas (acho que era isso, parecia pelo menos haha) e seu Gregório alimentou elas com o resto do frango do almoço, para a nossa alegria ela veio pertinho do carro. Também vimos o arbol de piedra, são um conjunto de rochas vulcânicas.

E depois fomos para a ultima do dia, Laguna Colorada, está secando mais e mais com o passar dos anos, mas continua linda, depois de muita caminhada e muitas fotos fomos para o hostel. Como eu moro no sul do Brasil, estou acostumada com o frio, mas se você não é, se agasalhe bem, pois faz muito frio durante a noite, e o banho é super gelado, então lenços umedecidos que bom que vocês vieram!

Quer saber 11 técnicas pouco conhecidas para viajar sem dinheiro? Baixe o meu e-book gratuito onde conto alguns segredinhos de viagem. Clique aqui.

A energia elétrica para carregar câmeras e celulares é ligada apenas por algumas horas, mas consegui carregar tudo sem problemas e não precisei de adaptador em nenhum lugar durante a viagem.

A janta estava uma delicia e até brindamos com um bom vinho, o legal é que os carros se encontravam lá e todo mundo se reunia, estávamos em umas 20 pessoas, acabei fazendo amizade com várias outras pessoas durante o tour do salar, pessoas do mundo todo, até combinei com um colombiano de nós encontrarmos em La Paz para fazer o deathroad juntos já que ele também ia pra lá depois de Uyuni, depois era hora de dormir pois teríamos que acordar as 4:00 da manhã para ver os geisers e pegar o sol nascendo!

Gastos dia 03 na Bolívia:

  • Entrada do parque = 150,000 bob (não esta incluso no tour e é obrigatório)
  • Banheiro = 5,000 bob

Valeu a pena perder umas horinhas de sono, parecia outro planeta aquilo e o barulho de vulcão em erupção, sinistro. Depois fomos ver a Laguna Verde, essa era a minha laguna mais esperada, e não me decepcionou, um espetáculo.

Lá nos despedimos do Lukas, o alemão, pois ele ia para o Atacama e nós retornaríamos a Uyuni, menino maluco, mas super gente fina. Depois paramos almoçar começamos a longa viagem de volta a Uyuni. Chegamos em Uyuni as 4:00 da tarde e nos despedimos do seu Gregório.

Deixo aqui minha recomendação para a agência Andes Salt Expeditions, guia atencioso e ótima comida!

Em Uyuni fomos comprar a passagem noturna de ônibus para La Paz, optamos pela Omar Tour, e conseguimos para as 9:00 da noite e descobrimos também que a 15 dias fora inaugurada uma estrada nova para La Paz novinha e que encurtaria a viagem em 2 horas. LUCKY!

Em seguida fomos comer pizza e tomar uma cervejinha porque ninguém é de ferro, né? Mesmo que toda cerveja lá seja temperatura ambiente, depois de 3 dias no deserto, desceu muito bem.

E então fomos na agencia esperar a hora do ônibus, Uyuni não tem terminal, cada ônibus sai da sua agência, sentados lá nos deparamos com uma cena peculiar:

Um rato correndo no meio da agência, quando ele passou as meninas gritaram, alguns minutos depois aparece um gato enorme, era da agência mesmo, nosso pensamento em grupo foi: daqui a pouco o gato acha o rato.

Digo e feito! O gato começa brincar com o rato no meio da agência lotada, e quanto está com o rato pela metade na boca vem uma criança e pega o gato com o rato na boca e começa a brincar, alertamos a mãe da criança, mas ela simplesmente acha graça, até que o rato foge, meio esmagado e começa a correr na agência novamente, a mulher pega o gato e faz ele perseguir o rato novamente, até que ele pega e come o bicho e no mesmo momento a mulher pega e da comida para a criança, sem o básico de higiene e você pensa: essas crianças devem ter a imunidade de um super-herói!

E o ônibus finalmente chegou, entramos, tinha até cobertor, tomei um dramin e um relaxante muscular e acordei de manhã em La Paz. LUCKY!

Está gostando desse artigo? 

Então curta a nossa página abaixo para ficar atualizado com mais dicas de viagem!  
 

Gastos dia 04 na Bolívia:

  • Restaurante boca grande (pizza e cervejas) = 43,000 bob
  • Ônibus Cama para La Paz pela Trans Omar = 100,000 bob

O terminal de La Paz é enorme tinha até um telão estilo cinema com filme passando para as pessoas verem enquanto esperam seus ônibus, dividimos um táxi, os 4 brasileiros foram para os hostel deles e lá nos despedimos, pessoas iluminadas, 2 casais parceiros e que gostam de aventura, que se divertem e crescem junto, tive muita sorte por conhecer vocês: Renata, Pietro, Amanda e Rafael. De lá eles iam para Copacabana, e eu continuaria em La Paz.

Chegando no WildRover hostel o qual também recomendo, se você viaja sozinho é muito bom para fazer amigos, (reservei pelo HostelWorld) o colombiano Oscar que conheci no salar já estava lá, Oscar é metade colombiano e metade alemão, uma pessoa com o coração gigante, como meu espanhol me falhou, optamos por nos comunicar em inglês e deu muito certo, grande parte das pessoas em La Paz fala inglês, então não me senti mais tão perdida no idioma.

Quer viajar para o exterior e não sabe nada de inglês? Ensino alguns truques e dicas no meu e-book gratuito de inglês para viagens e mostro como viajar para o exterior sem falar inglês. Clique aqui para baixar.

O check-in era só as 14:00 e era 7:30 da manhã, mas dava para deixar as malas lá, tomar banho e tomar café, e foi isso que fizemos, depois disso fomos para a rua para procurar uma agência para fazer deathroad e Chacaltaya, depois de muita pesquisa optamos pela Buho’s Travel Agency e fechamos os 2 passeios junto e conseguimos um bom desconto.

De lá fomos procurar uma casa de cambio e consegui cotação de 1,70 trocamos um pouco para acertar os passeios e assim o fizemos. Era 10:50 e resolvemos correr para a praça San Pedro para o city tour que começava as 11:00, o qual já tínhamos lido a respeito no hostel, correr literalmente, eram umas 10 quadras e meu coração quase saltou pela boca, ok sobrevivi! LUCKY chegamos a tempo.

O tour costumava ser de graça, agora era cobrado 20,000 bob o que é quase a mesma coisa, eram 2 guias e o tour era em inglês, foi bem divertido, apesar da chuva, visitamos o mercado, com muitas frutas e verduras lindas, visitamos também o mercado das bruxas, o qual Oscar resolveu comprar um vinho, só depois de bebermos descobrimos que era usado para feitiços, poções e afins, mas era bom, não era ruim não hahaha!

Quase todos do tour experimentaram, o legal dos viajantes o medo não faz parte da vida de ninguém, me senti em casa. Depois fomos conhecer mais um pouquinho de La Paz e o tour acabou era 14:00 da tarde, então fomos almoçar no Cafe Alexandre, também recomendo, lugar aconchegante, café bom e ótima comida.

Como já estávamos na rua resolvemos explorar, encontramos muitos lugares lindos em La Paz, pegamos um Van e fomos no teleférico amarelo, tem 3 teleféricos, mas o amarelo é o que tem a melhor visão de La Paz, recomendo fortemente, na ultima parada, bem la no alto, resolvemos ir no farol para ter a melhor visão, mas descobrimos que o farol era fechado, era alguma coisa do Evo Morales, pelo que eu entendi, ok meros mochileiros não podiam entrar.

Andamos mais um pouco, o lugar é podre, mas conseguimos uma vista linda lá de cima, resolvemos voltar pois estava escurecendo e segundo relatos lá em cima pode ser perigoso, na ida pegamos o por do sol e na volta pegamos as luzes de La Paz se acendendo, LUCKY sem dúvida escolhemos o melhor horário, resolvemos pegar um ônibus para voltar para o hostel, e assim conseguimos ver La Paz de todos os cantos, descemos na praça e andamos até o hostel, chegando lá só consegui tomar um banho, comer e desmaiei. O sono dos justos.

Gastos dia 05 na Bolívia:

  • Tour deathroad (Vertigo) + chacaltaya (entrada do parque inclusa) = 570,000 bob
  • Bilhete de ida e volta do teleférico = 6,000 bob
  • Van = 2,600 bob
  • Õnibus = 2,600 bob
  • Café Alexandre = 55,000 bob
  • Casa de cambio a 1,70 = 200 reais = 370,000 bob

Acordei e fui para a recepção esperar o Oscar para a deathroad, o  menino tinha ido para a balada, como que consegue ter tanta energia? Depois de 3 dias no deserto, dormir em ônibus e andar o dia inteirinho em La Paz, o parabenizei e prometi que a noite iria no bar tomar uma pelo menos (o que acabou não acontecendo, depois conto porque). Logo a van chegou e partimos para a aventura!

Para a deathroad (estrada da morte) optamos pela empresa Vertigo e não a mais popular Altitude, justamente por isso, menos pessoas na tour, e não me arrependo, estávamos apenas em 4 e o guia era todo nosso, LUCKY enquanto pela Altitude tinha guia com até 15 pessoas, os equipamentos eram bons e as bikes eram ótimas. O guia falava inglês e era bem atencioso.

Na primeira parada, colocamos os equipamentos de segurança e testamos as bikes, era a minha primeira vez com uma mountain bike, adorei! A primeira parte da estrada é de asfalto novinho, e pega uma velocidade incrível, por mim ficaria naquela estrada o dia todo, parávamos a cada pouco para tirar fotos, as fotos estavam inclusas no pacote e nosso guia tirou fotos ótimas.

A estrada de asfalto acabou logo e era hora de tomar o café da manhã, na van mesmo, café bem regado e tudo pronto para a estrada da morte.

Pegamos nossas bikes e fomos para a estrada mais perigosa do mundo. Tinha chovido bastante um dia antes, então a estrada estava mais perigosa que de costume, pois algumas partes o morro cedeu, e tinha muitas pedras no caminho, então precisávamos de precaução extra.

Sensação indescritível! Aquela sensação que você está no comando da tua vida, e ao mesmo tempo você percebe como nossas vidas são insignificantes  no meio daquela imensidão verde, o perigo é exitante!

É difícil de explicar, você tem que viver essa sensação de liberdade pelo menos uma vez na vida! Mas como nem tudo são flores nessa vida, lembra quando eu falei da calmaria antes da tempestade? Pois então, eu bem que desconfiei que tudo estava indo bem até demais, era muito LUCKY para pouco perrengue e afinal eu estava na Bolívia, certo?

Já no final da estrada da morte, faltava apenas uns 2km para a parada final, o hotel que teria almoço, e piscina para descansar, eu estava em uma descida bem ingrime, onde um pouco do morro tinha descido abaixo, uma pedra muito grande para passar por cima na minha frente, eu resolvo desviar e a roda da frente vai direto em um buraco e fica presa.

Resultado? Dei com a cara no chão, literalmente, bati a cabeça, depois o ombro e o braço e por ultimo, não sei como esmaguei a coxa na bicicleta, eu estava com todos os equipamentos de proteção, felizmente ou não estaria aqui hoje escrevendo para vocês.

Tão rápido quanto cai, já levantei e corri olhar se tava tudo bem com a gopro, até então não senti nada, olhei para os lados para ver se alguém tinha visto, e não tinha ninguém, LUCKY eu tava bem a frente do restante do pessoal, então subi na bike e continuei, depois de alguns metros comecei sentir dor e só então percebi que poderia ter me machucado, hahaha, mas continuei firme até o hotel onde tirei as roupas de proteção e vi que tava sangrando o braço e o ombro.

Única reclamação da Vertigo, eles não tinham nada de kit de primeiros socorros, mas graças aos equipamentos não tive maiores ferimentos, claro que quando a adrenalina passou e o corpo esfriou eu comecei a sentir bastante dor, mas ainda tava encantada demais para reclamar.

Dava pra tomar banho e relaxar no hotel, lembre de levar roupas extras, pois pela estrada da morte tem varias cachoeiras e você se molha inteiro. Tivemos um ótimo almoço e ficamos conversando um pouco na beira da piscina e então retornamos de van para La Paz, uma viagem de 3 horas por um caminho cheio de paisagens deslumbrantes da Bolívia!

Ao chegar no hostel  cuidei dos ferimentos, tive que enfaixar o pulso também, pois a dor era demais, mas o pior foi a coxa, a pancada foi feia e eu mal conseguia pisar no chão, tomei vários remédios fortes para a dor e cai no sono, sem janta e sem bar, acordei no outro dia. Se eu faria a deathroad de novo? Sem pensar duas vezes! Foi a melhor experiência e a mais dolorida da minha vida!

Gastos do dia 06 na Bolívia:

  • Entrada deathroad = 50,000 bob  (não esta incluso no tour)
  • Água = 5,000 bob

No dia seguinte, acordei com bastante dor, mas não ia deixar isso me impedir de fazer a chacaltaya e claro que não queriam me deixar ir, mas como eu já tinha pago não podiam argumentar muito.

A aventura já começa na subida até a estação que é de van por ruas estreitas e cheias de neve serpenteando a montanha. Chegando lá o restante é a pé ate o topo da montanha, as folhas de coca ajudaram com a altitude e com a dor, gente lembrando que folhas de coca: não é droga, é legal na Bolívia, não faz mal, não muda ou altera de nenhuma forma sua consciência.

Serve-se chá de coca nos restaurantes e lanchonetes do aeroporto, em quase todos os restaurantes e hotéis da Bolívia. Folhas de coca pode-se comprar na rua com vendedores ambulantes. Não hesitem em tomar chá de coca pois vai ajudar muito na aclimatação, e evitar os efeitos chatos do soroche (mal da altitude), e mesmo evitar de você passar mal.

Quer saber 11 técnicas pouco conhecidas para viajar sem dinheiro? Baixe o meu e-book gratuito onde conto alguns segredinhos de viagem. Clique aqui.

Cheguei lá em cima feliz da vida e realizada. Mas não tivemos muitos tempo lá, pois segundo o guia estava vindo uma tormenta, na decida pegamos chuva, e logo neve, minha felicidade estava completa, minha primeira neve! Pulei, filmei tudo, parecia uma criança, logo tava todo mundo brincando na neve comigo, hahaha.

Chegamos na estação de esqui mais alta do mundo, agora desativada devido ao aquecimento global e pegamos a van rumo a vale de la luna, não achei grande coisa o lugar e já estava com bastante dor, mesmo assim segui o fluxo por uma caminhada de 45 minutos por um lugar que parecia tudo igual, cheio de escadas, na volta a van deixou a gente na praça, e Oscar e eu fomos comer procurar uma casa de cambio, andamos muito até conseguir uma, mas a caminhada valeu a pena, consegui cotação de 1,80.

Chegamos no hostel, me despedi de Oscar, meu querido amigo colombiano e fui descansar, pois tinha voo bem cedo de volta para casa.

Gastos dia 07 na Bolívia:

  • Café copacabana = 17,000 bob
  • Água = 4,000 bob
  • Casa de cambio 1,8 = 150,00 = 270,000 bob

Acordei e fui fazer check-out e peguei um táxi para o aeroporto, peguei o voo de La Paz para Santa Cruz e de lá parti rumo ao Brasil, tchau Bolívia! A volta pra casa foi cansativa, mas eu estava voltando com um monte de novos amigos e mil boas lembranças no coração! Se eu voltaria para a Bolívia? Com certeza! Só amor pela Bolívia! E afinal cicatrizes são tipo um bônus nas viagens, certo? 😛

Gastos dia 08 na Bolívia:

  • Hostel WildRover 3 dias only girls room 6 = 216,000 bob
  • Passagem de avião de La Paz a Santa Cruz = 64 dólares (comprei no Brasil)
  • Taxi hostel para o aeroporto = 80,000 bob
  • Comida aeroporto La Paz = 20,000 bob
  • Comida aeroporto Santa Cruz = 25,000 bob

Gasto total da viagem para a Bolívia com passagens aéreas inclusas e todo o resto: R$ 2.607,18

O que fazer na Bolívia (do céu ao inferno em 8 dias - relato de viagem)

Gostou da minha aventura na Bolívia? Restou alguma dúvida? Deixa um comentário que eu respondo.

Veja o vídeo da viagem feito na GoPro.

Importante: Pensando em viajar para a Bolívia? Não esqueça do Seguro Viagem, pois o atendimento pode custar caro no país!

Seguro viagem geral 728x90

Leia também:

27 Comentários

  1. carlinha

    Amei suas dicas, Cheila.
    Em maio do Ano que vem, estarei embarcando nessa também.. Muito obrigada!

    • Fico muito feliz que tenha gostado Carlinha! Boa viagem e aproveite muito 😀

  2. Bianca Rossi

    Amei seu post Cheila!!! Estou embarcando também nesta aventura sozinha. Vou fazer Bolívia, Chile e Peru.
    Adorei suas dicas!!! Já tracei todo o roteiro, vou em agosto. A unica coisa que falta é saber em relação a locomoção de uma cidade pra outra, empresas de ônibus..se vai ter horários e disponibilidades lá na hora. Acredito que na Bolívia seja tranquilo né ?

    Beijos!!!

    • É bem tranquilo Bianca, vai na fé! Tenho certeza que você vai adorar! 🙂

  3. Carlos

    Olá, tudo bem?! em Julho, vou me aventurar mais 2 amigos pela America do SUL, estou pensando SERIAMENTE em incluir Bolívia, apenas para conhecer o “Salar de Uyuni”, mto recomentado por amigos, tem como você me passar mais informações? tipo, hostel, como que é a comida ( algo q sempre me pega em viagens :'( ),quantos dias seriam necessários? existe ônibus todos os das ida e volta? quantos anos dentro do buzão? AH e uma curiosidade, tenho uma GOPRO tbm, e vi q suas fotos tem um efeito FENOMENAL, qual o aplicativo q vc usa p editar suas fotos?!…
    Grato desde já,
    e PARABÉEENS pelo o blog!

  4. Adriana Viana

    Ola td bem ? Parabéns pela coragem de viajar sozinha queria ser assim rsrsrs amei td agora vou para a da Tailandia que sera meu proximo roteiro.

    A mochila que você levou de quantos litros eram ? Te fotos dela ? Pq mulher sabe como é precisamos fazer milagre ara levar o que precisamos rsrsrs. Estou pensando em uma mochila de 60 litros para viajar por uns 40 dias rrs.

    Bjos

    • Olá Adriana! Obrigada 🙂 Fui com uma mochila de 60L acho que tem uma foto que estou com ela no artigo, uma das primeiras fotos. 😀

  5. Ana Gabriely

    Deve ter sido incrível a sensação!! Uma aventura incrível!
    Lembrei da viagem que fiz a Bolívia há três anos, e foi maravilhoso, com certeza voltarei pra visitar.
    A única coisa que me surpreendeu foram os preços, aumentaram muito!! Mas por essa experiência incrível, vale a pena haha
    Adorei o post, muito bem escrito 🙂
    Bjs

    • Obrigada Ana, como é bom ler comentários assim! Com certeza voltarei para a Bolívia também! Beijo

  6. Mara

    Muito legal sua viagem….e suas fotos ficaram lindas! Você usou qual câmera? E qual aplicativo para deixá-las com essas cores? Ficaram maravilhosas!! Parabéns….

  7. Michele

    Olá Cheila! Muito obrigada pelo relato… estou partindo para minha aventura na Bolívia em poucos dias… confesso que estou ansiosa! Com um baita frio na barriga e pensando que está tudo organizado demais rs Ler seu relato me deixa um pouco mais preparada para os improvisos que podem acontecer e além disso, vou aproveitar suas dicas… principalmente da agência para o passeio ao Salar. De Uyuni eu vou para Copacabana 🙂 não tive coragem de encarar a estrada da morte. Espero ter boas experiências no meu mochilão! Abraços!

    • Olá Michele! Tenho certeza que voltara para casa dessa viagem cheia de histórias para contar e experiências encantadoras! Aproveite muito e depois volta aqui me contar como foi! Beijo :*

  8. Beto

    Incrível sua aventura. Muito bem descrita, me senti na sua pele. Estou aqui morrendo de vontade de fazer uma viagem dessa. Obrigado por compartilhar de forma tão positiva.

    • Fica imensamente pelo comentário, obrigada pelo carinho. E está esperando o que para fazer uma viagem dessa? Para viajar basta existir <3

  9. Carolina

    Oiii,
    Que delícia de viagem, amei! Foi uma inspiração pra mim. Também já viajei sozinha (Porto Seguro – BA) e depois me chamaram de doida, mas tô nem aí, é tudo de bom! Vou me aventurar também, assim como você, só me falta grana (e mais coragem).
    Abraços!

    • Só digo uma coisa, se joga nesse mundão hehehe a gente vê no final que a opinião dos outros pouco importa né? Boas viagens pra ti! 🙂

  10. Pingback: Mochilão sozinha na Bolívia: do céu ao inferno em 8 dias | Gostaria De Ir

  11. Diego Batista Bandeira Leal

    CHEILA o pagamento que vc fez em relação a expedição no salar esses 3 dias que ficou lá a hospedagem como funcionava ? Era parte do passeio?

    • A hospedagem era inclusa Diego, o valor por por tudo, carro, comida, hospedagem e guia 😀

  12. Pablo

    Olá, tudo bem?
    Qual GoPro a sua? hahaha
    Comprei a Hero5 Black e não gostei tanto. Suas imagens ficaram incríveis.

  13. Thomaz Pedroso

    Ola !!! Acabei de ver seu relato ( muito bem escrito, diga-se). Farei a viagem ao Salar no carnaval. Mas irei para lá paz. As dicas serão valiosas. Muito obrigado por compartilhar. Ótimas viagens.

    • Olá Thomaz, muito obrigada pelo elogio e fico muito grata que tenha te ajudado! Tenho certeza que vai se apaixonar pela Bolívia, boa viagem e aproveite!

  14. Que aventura maravilhosa na Bolívia, Cheila!!! Preciso conhecer o país. Li todo o relato.
    Já estou te seguindo no Facebook. Bjs

    • Fico muito feliz que tenha gostado Drika! E não tenha dúvidas que vai se apaixonar pelo país! Beijo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *