O que fazer na Tailândia (relato de viagem com gastos, dicas de passeios, restaurantes, hotéis, locomoção e cultura)

Sleep Aboard Maya Bay

Pensando em ir para a Tailândia? Já sabe o que fazer lá? Vou contar para vocês como foi a minha viagem de 20 dias pelo sudeste asiático, com os gastos diários o total que gastei na viagem toda, dicas de passeios, restaurantes, hotéis, locomoção, cultura, enfim vou fazer um resumão completinho sobre a Tailândia e a minha aventura por lá.

No dia 27 de dezembro a uma hora da manhã saiu o voo para o paraíso, algo que eu planejei por quase um ano, por quase um ano abrindo mão de muita coisa para economizar para a viagem, não pense que eu nasci em berço de ouro, ganho bem ou que tem alguém pagando as minhas viagens, eu faço é milagre com o meu salário, que é bem regular, diga-se de passagem, mas que mesmo assim me ajuda a rodar o mundo, e sou grata por isso.

Minha paixão é viajar e viajando me sinto realizada, por isso trabalho para isso, sei exatamente quanto tenho que economizar para tirar uma viagem do planejamento. Não tem segredo, é só um desejo muito forte com um punhado de foco. Foi assim que consegui tirar esse paraíso dos meus sonhos e trazer para a minha realidade.

Depois da Tailândia eu fui para a Indonésia e fiz um artigo contando tudinho, clique aqui ler (vai abrir em outra página).

A preparação para o meu destino dos sonhos: Tailândia.

Fiz essa viagem 100% por conta própria, acredito que devo ter lido todos os blogs de viagem e relatos sobre esses destinos existentes no Brasil hahaha adoro viajar antes da viagem, mas nada como a sensação de estar no paraíso na terra com os seus próprios pés. Vamos lá?

  • Confira o vídeo dessa minha aventura na Tailândia abaixo:

Chegamos em São Paulo com o coração saindo pela boca de ansiedade, fizemos os check-ins online antecipadamente e iriamos viajar apenas com a bagagem de mão, então depois de jantar só nos dirigimos para o embarque.

Quer saber como viajar só com a bagagem de mão? Explico nesse vídeo e mostro como fiz.

Meu voo foi pela Ethiopian Airlines, a qual eu tinha lido algumas experiências ruins na internet, mas não tenho o que reclamar da companhia, o avião era bem confortável (tem que ser né, senão quem aguenta 24 horas de voo?), cada pouco tinha comida e bebida a vontade, as comissárias de bordo eram supersimpáticas, tinha diversas opções de filmes bem atuais, além de jogos, áudio books e afins.

Nossa primeira parada foi em Lome para abastecer a aeronave, a cidade fica no comecinho da África, a parada é rápida e você não desce do avião. Depois paramos na conexão em Addis Ababa na Ethiopia, que aeroporto mais bagunçado, cada um nos mandava para um lugar diferente, e foi difícil achar onde realmente teríamos que embarcar, além do inglês lá ser precário. Depois de 3 horas de espera, partimos rumo a Bangkok, a capital da Tailândia.

Dia 01: Aeroporto, pôr-do-sol sobre o Templo Wat Arun e Khao San Road

Chegamos em Bangkok já sentindo o poder do fuso horário de 9 horas de diferença, já no aeroporto aquela bagunça de gente perdida, graças a Deus eu já sabia que tinha que ir primeiro no Health Control para depois ir para a imigração, mas a maioria das pessoas vai sem saber e fica na fila quilométrica da imigração primeiro, tudo para chegar lá e voltar e ser encaminhado para a Health Control que também tem fila, e depois enfrentar a fila da imigração novamente.

Para entrar na Tailândia é obrigatório a vacina da febre amarela. Fiz um artigo explicando onde fazer e como emitir o certificado internacional, clique aqui para ver.

Não tem avisos, então já vá sabendo, primeiro Health Control, há placas indicando o caminho, então é fácil chegar, lá eles confirmam que você tem a vacina da febre amarela, e você tem que preencher um papel, depois mostre para o cara do balcão que vai carimbar e só depois siga para o Passaport Control.

Health Control - Tailândia

Health Control

Já no aeroporto podíamos ver alguns locais com máscara, você vai ver muito na Tailândia, eles usam quando estão gripados, para não passar a sua doença para outras pessoas ou simplesmente para se prevenirem, legal, né?

Trocamos alguns dólares por bath (moeda tailandesa), apenas para o táxi, pois a cotação é muito ruim no aeroporto e depois de quase duas horas conseguimos sair do aeroporto e o cansaço já tomava conta, entramos no primeiro táxi que encontramos, GRANDE ERRO! O taxista cobrou uma fortuna para nos levar até o hotel, pois não ligou o taxímetro e cobrou quanto quis, mas tudo bem, serviu para acordar um pouco, depois de um banho fomos desbravar a cidade.

Eram quase 5 horas da tarde e queríamos pelo menos pegar o pôr-do-sol sobre o templo Wat Arun, visto do outro lado do rio e conseguimos encontrar mesmo sem internet, quem tem boca vai a Roma. Que espetáculo! Dizem que o pôr-do-sol visto do outro lado do Rio com o sol se ponto em cima do Wat Arun é o maior cartão postal de Bangkok, com o Cristo Redentor para o Rio de Janeiro e eu acredito, uma maravilha da natureza, e o melhor que é de graça!

Fiz um vídeo mostrando o pôr-so-sol com o Templo Wat Arun de fundo, confira abaixo:

Depois fomos conhecer a famosa rua Khao San Road, a rua mais badalada de Bangkok, que ficava bem próxima ao hotel. Que diversidade de gente, de tudo que é lugar, viajantes principalmente. É coisa de outro mundo ver essa rua pela primeira vez, os carros não passam na rua a noite, se você for de táxi eles vão te deixar na entrada dela, mas não se preocupe, pois a rua não é muito grande.

  • Quer viajar para o exterior e não sabe nada de inglês? Ensino alguns truques e dicas no meu e-book gratuito de inglês para viagens e mostro como viajar para o exterior sem falar inglês. Clique aqui para baixar.

É muita coisa diferente juntas, música alta, letreiros gigantes, bares que invadem as ruas com pessoas dançando, um lugar onde você pode comprar de tudo, lugar para falsificar documentos a céu aberto, escorpião para comer, ratos no beco, gente sendo massageada ali mesmo na rua, muitos cheiros e sensações que você nunca provou antes, é surreal! Eu adorei, é uma bagunça divertida demais.

Quer saber mais sobre a Khao San Road? Clique aqui, tem um artigo inteiro sobre ela.

Trocamos mais dólares por bath, tem várias casas de câmbio na Khao San Road e encontramos um lugar mais tranquilo para jantar, a primeira refeição na Tailândia foi para provar a comida típica tailandesa, é claro. Não pense que porque você gosta de pimenta você vai gostar das comidas lá, sério, eu gosto de pimenta e muitas vezes não conseguia comer a comida deles hahaha.

Depois da janta fomos andar mais um pouco na Khao San Road, tomamos uma cervejinha e eu comprei uma calça linda por 12 reais, uma bagatela, não é? Usei muito ela a viagem toda. Era hora de voltar para o hotel e dormir para descansar do voo e acordar dispostos para o dia seguinte em Bangkok, a Khao San Road fica a umas três quadras do hotel.

Gastos do dia 01:

  • 800 bath – Táxi aeroporto hotel
  • 370 bath – Janta – Khao San Road
  • 120 bath – Calça – Khao San Road
  • 80 bath – Cerveja – Khao San Road

Dia 02: Grand Palace, Templo Wat Pho e Khao San Road

Na manhã do dia seguinte fomos novamente para a Khao San Road para comprar o passeio de Ayutthaya para o dia seguinte, pois esquecemos na noite anterior. E dali fomos conhecer o Grand Palace e o Templo Wat Pho, lembrando que fizemos tudo isso a pé, pois eram próximos ao hotel, então quando for escolher o seu hotel lembre-se de olhar o endereço, veja algum que seja próximo a Khao San Road.

O hotel que eu fiquei era simples, mas ótimo custo benefício pela localização (próximo a Khao San Road) e o café da manhã era razoável, só tomei um susto no primeiro dia, pois a rua é bem feia, suja e cheia de barracas e algumas pessoas dormindo no chão, pensei que tivesse feito um mal negócio, mas depois vi que era tranquila e tinha bastante policiamento por perto.

  • Quer saber onde se hospedar na Tailândia? Clique aqui e veja os meus reviews dos hotéis que fiquei.

Jogamos os endereços do Grand Palace e o Wat Pho no google maps, para ver se ela perto mesmo, além de ser perto do hotel, um fica na frente do outro. Fomos primeiro no Grand Palace.

Atenção as roupas: shorts não é permitido tanto para mulheres quanto para homens, mostrar os ombros e colo também não. Eu fui de calça e camiseta, mas essas regadas cavadas no braço, também não é permitido.

Logo na entrada, o guardinha apontou para uma casinha, um lugar onde eles emprestam roupas, você paga 200 bath por peça e eles emprestam, no final você devolve a roupa e eles devolvem seu dinheiro. Achei que ia ganhar um lenço para colocar nos ombros, mas não, ganhei uma camisa que fiquei nadando dentro.

Com o look estragado e sofrendo com o calor, mas respeitando a cultura local, entramos para conhecer o Grand Palace, e que lugar espetacular. A entrada é carinha, 500 bath por pessoa, mas vale a pena, é um show de arquitetura, que você não vê no Brasil, muitas cores e muito, muito dourado. O tempo de permanência vai de cada um, ficamos um pouco mais porque tiramos muitas fotos, o lugar era incrível.

  • Fiz um vídeo mostrando o Grand Palace e o Wat Pho, clique aqui para ver.

Quer saber mais sobre o Grand Palace? Tem um artigo inteiro sobre ele, clique aqui

Depois fomos para o Templo Wat Pho, pertinho do Grand Palace, é nesse tempo que tem o famoso Buda Reclinado, é um enorme Buda Dourado que fica dentro do templo. A entrada custa 100 bath por pessoa. Depois que você visita o Grand Palace o templo Wat Pho não parece tão grandioso, mas mesmo assim vale muito a pena, ali você começa entender um pouquinho da cultura local.

O Wat Pho fica próximo ao rio Chao Phraya e há um pior próximo a saída do Wat Pho e você pode atravessar de barco para ver o Templo Wat Arun que fica próximo, aquele do pôr-do-sol que vimos no dia anterior.

Quer saber mais sobre o Wat Pho? Tem um artigo inteiro sobre ele, clique aqui

Confira no vídeo abaixo o Grand Palace e o Wat Pho:

Depois do Wat Pho fomos almoçar e descobrimos a 7 eleven, guardem esse nome, principalmente se vocês querem economizar. É uma rede de conveniência na Tailândia, tem muitas espalhadas, sério quase uma a cada esquina, onde você encontra muita variedade, refeições baratinhas, tipo prato feito, ou congeladas que eles esquentam na hora, bebida, doces e afins. Almoçamos lá por 12 reais o casal com bebida inclusa.

7 eleven - Bangkok Tailândia

Sonho realizado na 7 eleven: Yakult de 1 litro

Depois do almoço voltamos para o hotel para descansar um pouquinho e se refrescar do calor de Bangkok, resolvemos dormir uma meia horinha para renovar as energias, pois o nosso fuso horário estava totalmente ao contrário e o sono tomava conta.

Até aí tudo bem, mas esquecemos de colocar um alarme no celular e acordamos as 6 da tarde hahaha. Acontece, né? Pelo menos a pilha estava trocada, tomamos um banho e era hora de ir para a badalada Khao San Road.

Resolvemos aproveitar a noite já que tínhamos perdido a tarde, jantamos muito bem em um restaurante lindo e mais calmo na Khao San Road e de sobremesa provamos o escorpião da Tailândia, sim é de comer, desconfio que eles não comem isso não, só fazem para os turistas, mas afim eu estava na Tailândia, claro que eu ia provar o tal escorpião!

Além do escorpião tem outras variedades, como aranhas, cobras, grilos, larvas e outros, mas o escorpião me pareceu menos pior. Como posso descrever isso? Tem gosto de escorpião, vai ter que provar para descobrir hahaha é crocante e tem gosto amargo no final, só coma se tiver uma cerveja próxima. Fiz um vídeo para provar, que só tirar foto não prova nada, certo?


Tomamos uma cervejinha, fizemos mais umas comprinhas. Lembram que eu fui só com a mala de mão? Lavar roupa na Tailândia é muito barato, cerca de 1 dólar para cada quilo e além disso, as roupas na Tailândia eram muito baratas para comprar, comprei mais um shorts por 8 reais e um boné por 32 reais e meu namorado comprou 3 cuecas por 18 reais.

Estou falando em reais para ficar mais fácil para vocês entenderam, mas é claro que eles não aceitam real lá, a compra foi feita em bath que a cotação é 1 real cada 10 bath, ou seja 180 bath é igual a 18 reais, grave isso que assim você não se perde no dinheiro.

Quer saber mais sobre a Khao San Road? Tem um artigo inteiro sobre ela, clique aqui.

Então era hora de experimentar a famosa massagem tailandesa, ainda não sei se foi uma boa decisão ou ruim hahaha. A massagem custou 26 reais para duas massagens de meia hora e na hora foi ótimo, ele te alonga inteira que chega até a doer, e eu sai de lá renovada, mas no outro dia senti que machucou o meu braço, senti dor por vários dias e tive que tomar vários relaxantes musculares para acalmar a dor.

Saindo de lá fomos para a massagem nos pés com os peixinhos, sim a Fish Massage, nada mais é que um monte de peixinhos comendo as células mortas dos teus pés, faz muita cocega e a sensação é entranha, mas deixa os pés lisinhos.

Era quase uma hora da manhã quando voltamos para o hotel, era hora de dormir, pois o passeio para Ayutthaya saia cedinho, mas isso aconteceu? Claro que não! Hahaha Fiquei rolando na cama dá uma as 3, dormi uma hora e acordei novamente e não dormi mais, ok estaria cansada para o passeio, mas ia vencer esse fuso horário maluco.

Gastos dia 03:

  • 40 bath – Água e suco
  • 1000 bath – 2 entradas The Grand Palace
  • 200 bath – 2 entradas Wat Pho
  • 112 bath – 2 almoços 7 Eleven
  • 800 bath – Janta Buddy Beer – Khao San Road
  • 100 bath – 2 escorpiões – Khao San Road
  • 80 bath – Cerveja – Khao San Road
  • 80 bath – Shorts – Khao San Road
  • 180 bath – 3 Cuecas – Khao San Road
  • 260 bath –  2 massagens tailandesa de meia hora – Khao San Road
  • 300 bath – 2 fish massage – Khao San Road
  • 320 bath – Boné – Khao San Road

Dia 3: Ayutthaya e Hard Rock Café Bangkok

Depois de ficar rolando na cama a noite toda, levantei e fui me arrumar para conhecer Ayutthaya. Ayutthaya é um passeio imperdível de Bangkok e um dos mais vendidos também, fica a 80km da capital, então você pode fazer um bate e volta tranquilamente. Ayutthaya é uma cidade cheia de templos em ruínas, diferentes daqueles que você vê em Bangkok, é um lugar espetacular.

A van chegou cedinho e demora cerca de uma hora até chegar em Ayutthaya. Prepare-se para um dia de muito sol na cabeça, se hidrate bem e não esqueça o protetor solar. Eu estava de chapéu, mas ventava demais e tive que tirar, depois coloquei um lenço na cabeça até que esquentou demais e tive que tirar, o calor incomodava, mas a vista a sua volta vai fazer valer a pena.

Existem muitos templos em Ayutthaya, mas os considerados principais, são eles: Wat Yai Chai Mongkol, Wat Phra Sri Sanphet, Wat Lokkayasutharam, Wat Phu Khao Thong e Wat Mahathat e conhecemos todos.

Todas as entradas dos templos estão inclusas no pacote do passeio, junto com o almoço que era: arroz, frango, carne de porco, verduras e legumes, suco e frutas.

E o guia também era incluso, mas não espere muito dos guias, eles até se esforçam, mas é muito difícil entender o inglês enrolado deles, pesquise no google antes de ir.

Ao chegar nos templos, o guia explica um pouco sobre ele e te libera com algum tempo em cada templo e marca um local para se encontrar. Tiramos inúmeras fotos em Ayutthaya, sou apaixonada por ruínas e história, com certeza é um passeio que vale a pena.

  • Fiz um vídeo mostrando as grandiosas ruínas de Ayutthaya, clique aqui para ver.

Quer saber mais sobre Ayutthaya? Conto tudinho nesse artigo, clique aqui para ler. 

Chegamos em Bangkok por volta as 16:00 e a van deixou todo mundo na Khao San Road, ela apenas pega no hotel, mas para voltar da Khao San Road você se vira, nossa sorte que o hotel era pertinho.

Confira abaixo o vídeo que fiz nas ruínas de Ayutthaya:

Descansamos um pouquinho no hotel e como era longe, pegamos um tuk tuk e fomos jantar e curtir a Hard Rock Café Bangkok. O lugar é show, mas bem caro para os padrões da Tailândia. Mas estávamos de férias e na Tailândia, estão resolvemos aproveitar. A comida é bem parecida com a do Hard Rock Café do Brasil, só que no Brasil a carne é mais macia. Comemos super bem, tomamos um drink e uns 4 chopp, curtimos um pouco a banda tailandesa que estava tocando e pegamos um tuk tuk para voltar para o hotel, pois no dia seguinte viajaríamos cedinho para Krabi para curtir o ano novo no Sleep Aboard Maya Bay em Phi Phi Island.

Gastos do dia 03:

  • 1100 bath – 2 passeios Ayutthaya
  • 40 bath – 2 sorvetes de coco
  • 10 bath – Água
  • 2 bath – Banheiro
  • 200 bath – Tuk tuk ida Hard Rock Café
  • 2140 bath – Hard Rock Café
  • 200 bath – Tuk tuk volta Hard Rock Café
  • 230 bath – Táxi aeroporto

Dia 04: Sleep Aboard Maya Bay – Phi Phi Island

Como tínhamos poucos dias e a Tailândia é enorme, decidimos ir de cidade a cidade de avião com companhias low cost, compramos todos os voos do Brasil já.

Em Bangkok tem 2 aeroportos, o Don Mueang que é o menor e o Suvarnabhumi (que é da onde você chega do Brasil). É do Don Mueang que saem os voos das companhias low cost. Chegamos 1h30 adiantados, não há necessidade de tanta antecedência para voos domésticos.

Como já tínhamos feito o check-in online, foi só imprimir os tickets em uma dessas maquinas da Air Asia que você encontra no aeroporto para fazer self-check-in e embarcar.

Na Air Asia você não tem direito a despachar a mala, a não ser que pague a parte, foi um dos motivos que decidimos viajar só com a bagagem de mão, isso e a praticidade. Você pode levar uma mala de mão de até 7kg, mas em momento algum nossas mochilas foram pesadas em toda a nossa viagem e fizemos vários voos de low cost. O voo foi tranquilo e em 2 horas estávamos em Krabi.

No aeroporto de Krabi mesmo você encontra um guichê que vende ticket de ferry, nada mais é que uma balsa que vai para as ilhas. Compramos para Phi Phi Island que já incluía o taxi até o píer para pegar a balsa.

A viagem demora em torno de 2 horas e te deixa no píer de Phi Phi Island, assim que você chega em Phi Phi você começa a ver aquele paraíso tropical que tanto falavam que era a Tailândia.

Fomos andando do píer até a agência que compramos o passeio do Sleep Aboard Maya Bay ainda aqui do Brasil, sim se você quer fazer esse passeio e com certeza deveria se você vai para a Tailândia, pois o passeio é imperdível, sugiro que compre com antecedência, pois é bem requisitado. No final desse artigo vou deixar os links de onde compramos o passeio aqui do Brasil, junto com os voos e afins.

Quer saber mais sobre o passeio Sleep Aboard Maya Bay? Fiz um artigo inteiro só para falar desse passeio, clique aqui para ler. 

Deixamos as mochilas na agência e levamos apenas uma mochila de ataque com itens básicos para passar o dia e a noite no mar. Você economiza com hotel esse dia que vai fazer o passeio, já que vai dormir no barco e pode deixar a mochila na agência.

Fomos almoçar, tomar uma cerveja na praia, fazer uma foot massage e comprar snacks no 7 eleven já que o embarque era as 15:00 e perto desse horário fomos para o píer para conhecer a galera que iria para Maya Bay com a gente.

Quando chegamos no barco já tomamos um susto, 90% das pessoas eram brasileiras hahaha, o que foi ótimo, pois na Tailândia o ano novo é apenas em abril, então foi bom encontrar brasileiros para comemorar o nosso ano novo juntos.

Já no mar a primeira parada foi apenas para fotos, na Viking Cave, ganhou esse nome por ter desenhos de embarcações vikings no seu interior. A pequenos templos no interior da caverna.

A caverna tem parte importante na economia local, é no topo dela que as andorinhas fazem seus ninhos, e os ninhos de andorinha são uma das iguarias prediletas dos chineses.

Então para deixar os chineses comilões felizes os tailandeses escalam as rochas e removem os ninhos com a ajuda de bambus. Os templos dentro das cavernas servem para pedir proteção na escalada.

Depois era para fazermos snorkel logo depois da Viking Cave, mas como o mar estava muito agitado, tivemos que pular essa parte. Fomos por trás na Maya Bay onde dava para ver muita gente fazendo escaladas. Até finalmente chegar ao paraíso, finalmente conseguimos ver a Maya Bay.

Barcos grandes como o nosso, não podem atracar em Maya Bay, por isso um barquinho menor nos deixou o mais próximo da terra que conseguiu. A maré estava bem baixa, e ainda tinha bastante gente turistando por lá, durante o dia a vários passeios que levam até Maya Bay, mas o único que pode ficar até tarde da noite na ilhada, somos nós.

A noite foi feita a janta na parte de trás da ilha, típica tailandesa e bem simples, mas muito melhor do que eu esperava. Algumas esteiras foram colocas no chão, e o fogo aceso no meio. Fizemos um lual com muita bebida, jogos e música.

No passeio era incluso um Bucket (um baldinho de bebida com Vodka ou Rum Tailandês e refrigerante ou energético). Logo a maioria dos brasileiros estavam dando show hahaha, os guias eram super animados e beberam mais que todo mundo.

Mais tarde rolou o “segundo jantar” era uma espécie de churrasco de frango, eu não provei porque ainda estava cheia do primeiro jantar hahaha.

Eu e meu namorado como não tínhamos dormido nada na noite anterior, estávamos bem cansados fomos dar uma volta na Maya Bay e curtimos o céu estrelado de frente para o mar, com a Maya Bay só para nós, foi incrível!

O cansaço já tomava conta, agrademos quando era a hora de voltar para o barco para ver o plankton e dormir. E não é que dá para ver mesmo? Quanto mais mexe na água, mais aparece. É muito legal!

Depois disso vencidos pelo cansaço fomos dormir, é proibido dormir na ilha desde 2012, primeira era esse o proposito, mas como os turistas não cuidavam, para preservar a ilha foi proibido desde então, então dormimos ancorados próximo Maya Bay.

Fomos dormir no convés do barco, bem em cima de tudo, o melhor lugar na minha opinião, a céu aberto com aquele mar de estrelas em cima da gente, ganhamos um colchãozinho, um saco de dormir e travesseirinhos, e apagamos antes mesmo da contagem para o ano novo.

Acordamos as 6:00 com a vista mais linda da vida, e a Maya Bay era só nossa, estava deserta. Pegamos o primeiro barquinho e fomos de volta para a ilha. Curtimos muito aquele momento, tiramos muitas fotos maravilhosas sozinhos na ilha.

Maya Bay foi onde foi filmado o filme A Praia (1999) com o Leonardo Di Caprio, é o uma das visões que os seus olhos jamais vão esquecer.

As 8:00 da manhã começaram a chegar MUITOS Long Tail Boats (barcos típicos da Tailândia) de Phi Phi Island, e a praia começou a encher de turistas, era hora de dizer tchau ao paraíso Maya Bay e partir.

  • Fiz um vídeo mostrando o espetáculo que é esse passeio: Sleep Aboard Maya Bay, confira abaixo:

Gastos do dia 04:

  • 800 bath – 2 tickets balsa Krabi para Phi Phi
  • 350 bath – Táxi do aeroporto até o pior para pegar a balsa
  • 40 bath – Taxa limpeza
  • 365 bath – 2 almoços Phi Phi
  • 250 bath – 1 camiseta
  • 60 bath – cerveja
  • 300 bath – 1 saída de praia
  • 400 bath – 2 foot massage
  • 117 bath – 7 eleven (agua, energ. e bolacha)
  • 100 bath – cerveja no barco

Quer saber mais sobre o Sleep Aboard Maya Bay? Tem um artigo inteirinho sobre isso, clique aqui para ler.

Dia 05: Phi Phi ViewPoint e curtir a noite em Phi Phi Island

Chegamos no píer de Phi Phi ao meio dia, nos despedimos dos amigos que fizemos e fomos procurar o nosso hotel. Phi Phi Island é bem pequena, não tem taxi, o máximo que tem é uma pessoa puxando uma espécie de carroça para colocar as malas que alguns hotéis disponibilizam.

Como estávamos apenas com uma mochila de 6kg cada um, foi bem tranquilo andar por lá. Fizemos o check-in no nosso hotel, um quarto ótimo, na saída da praia, sem escadas ou elevadores, você abria a porta e já estava na areia, também tinha um restaurante beira-mar, bar e piscina, adoramos. Depois do check in, fomos almoçar, depois do almoço fomos descansar um pouco.

Depois de descansados era hora de encarar uma pequena trilha de meia hora para ver uma bela imagem panorâmica da ilha, a hora ideal para ir é antes do pôr-do-sol, para curtir o sunset lá em cima, foi o que fizemos.

A trilha é bem sinalizada e foi bem fácil de encontrar, na rua já tem plaquinhas indicando onde começa. Após subir umas escadas, começa a trilha, por um caminho feito de concreto, quase uma rua bem estreita que segue até chegar em uma área onde você compra os tickets para entrar. Quando chega lá em cima, é de tirar o folego, não o cansaço, mas o visual! Você consegue ver Phi Phi de cima, e é sensacional!

Depois disso voltamos e compramos os passeios do dia seguinte, logo depois fomos jantar, um camarão ótimo! E de sobremesa sorvete de coco, não deixe de provar o típico sorvete de coco da Tailândia, que vem dentro do coco mesmo.

Agora era hora de conhecer a famosa noite em Phi Phi Island, a praia fica cheia, muitos bares com som alto, alguns tem até show com fogos para chamar os turistas, e como eles são bons na pirotecnia. Sentamos em um barzinho de reggae para tomar uma cerveja e curtir o clima agradável da noite e depois fomos para o hotel dormir que tinha passeio cedo no outro dia.

 

Gastos do dia 05:

  • 600 bath – 2 almoços Phi Phi
  • 70 bath – Cerveja
  • 222 bath – Lavanderia Phi Phi 3,7 kg
  • 60 bath – 2 tickets Phi Phi ViewPoint
  • 360 bath – camarão e uma cerveja
  • 100 bath – Sorvete de coco
  • 231 bath – Protetor solar, sabonete, barbeador no 7 eleven
  • 80 bath – Cerveja Bar Reggae

Dia 06: Passeio 4 Islands (Monkey Beach, Mosquito Island, Bamboo Island e Maya Bay)

Acordamos e fomos para a agência de onde sairia o passeio, chegou um guia e fomos acompanhando ele a pé mesmo, que parou em várias outras agencias pelo caminho para acompanhar os turistas até o píer.

No píer teve um café da manhã e logo embarcamos. Você também pode fazer esse passeio de private tour, alugar o long tail boat só para você, assim você determina quanto tempo e permanência em cada ilha.

Private tour é para quem não consegue fazer o Sleep Aboard Maya Bay, para tentar pegar a ilha mais vazia, como já tínhamos feito, optamos pelo compartilhado mesmo, que era bem mais barato e você veria as mesmas coisas, e cá entre nós, veríamos a Maya Bay novamente sem problema algum.

Todos os passeios de barco que fizemos na Tailândia eles tinham equipamento de snorkel que eram emprestados gratuitamente, no Sleep Aboard Maya Bay também tinham caiaques.

Primeira parada foi Maya Bay, aquela beleza que você já sabe, ficamos sentados na ilha curtindo aquele paraíso agora sem tirar fotos, só curtindo o lugar. Mesmo com mais turistas por perto, continua linda. Que saudade da Maya Bay!

Segunda parada Monkey Beach, se você quer uma ilha paradisíaca e cheia de macaquinhos, vá para Monkey Beach. Uma pena que apesar nas inúmeras placas pedindo para não tratar os animais, ainda assim tinha gente dando snacks a eles. É uma pena ver essas belezas da natureza sumindo pela falta de respeito dos turistas que fazem tudo por uma selfie.

A Monkey Beach é incrível, muito verde das matas junto com aquele mar esverdeado lindo constroem um cenário espetacular.

Terceira parada foi Mosquito Island, que só foi possível ver de longe, pois estava fechada para o acesso pela falta de conscientização dos turistas, o barco para e só vimos a ilha de longe que parece ser um paraíso. Nesse ponto descemos do barco para fazer snorkel, e foi incrível a quantidade de peixes coloridos que vimos, foi um momento sensacional do passeio.

A última parada foi Bamboo Island, o nome foi dado porque tem muito bambu lá. O mar de Bamboo Island é o mais bonito, lembra muito o mar do caribe, aquele azul que chega a doer os olhos, diferente do mar das outras ilhas perto de Phi Phi que tem o mar esverdeado. Em Bamboo Island tivemos que pagar uma taxa ambiental no valor de 400 bath por pessoa, achei bem cara, mas pelo menos ajudaríamos na preservação do local.

Está gostando desse artigo? 

Então curta a nossa página abaixo para ficar atualizado com mais dicas de viagem!  
 

A saída de Bamboo Island foi conturbada, o mar estava muito agitado e não deixava os barcos atracarem perto, e claro que não dava pé para chegar até o barco e estávamos com as mochilas na ilha com câmera e afins, confesso que fiquei com muito medo.

Meu namorado é um excelente nadador, foi até o barco e voltou com um colete salva-vidas para mim e um saco plástico para colocar as coisas que não podia molhar, fui de colete até lá, segurando em uma corda, o mar estava bem violento e foi difícil chegar até o barco, mas deu tudo certo no final e todos embarcaram a salvo. Era hora de voltar para Phi Phi.

Chegamos tarde em Phi Phi, só tomamos um banho e fomos jantar, e depois de uma cerveja na praia voltamos para o hotel dormir que no outro dia cedo era hora de dizer tchau para Phi Phi e pegar uma balsa para Ao Nang em Krabi.

  • Fiz um vídeo mostrando o passeio de 4 Islands, clique aqui para ver.

Quer saber mais sobre o o que fazer em Phi Phi? Fiz um artigo completinho sobre ele, clique aqui. 

Confira abaixo o vídeo de Phi Phi Island:

 

Gastos do dia 06:

  • 1300 bath – 2 passeios Long Tail Boat
  • 800 bath – 2 taxas ambientais em Bamboo Island
  • 160 bath – Bolacha e chips em Maya Bay
  • 470 bath – 2 jantas e 1 suco
  • 80 bath – Cerveja

Dia 07: Ao Nang – Krabi – Tailândia

Pegamos a balsa de Phi Phi Island para Krabi, chegamos em Krabi ao meio dia, a van de Krabi para Ao Nang é inclusa no ticket, a van nos deixou no hotel. Esperamos no hotel até as 14:00 para fazer o check-in, enquanto esperamos almoçamos no hotel, o hotel era aquelas construções antigas e enormes, parecia um castelo com 3 piscinas sensacionais, tiramos o restante da tarde para curtir aquelas piscinas.

Nesse dia o meu braço doía muito, lembram que machuquei na massagem tailandesa em Bangkok? Pois é, continuava a doer, e tive que tomar relaxante muscular durante o dia para aliviar a dor, então fiquei sonolenta.

Na piscina as 17:00 rolava um happy hour com drinks em dobro e música, ficamos lá curtindo um pouco e depois disso subimos para tomar banho e jantar, jantamos no hotel mesmo porque eu estava caindo de sono, depois disso peguei no sono, um sono pesado e reconfortante graças ao relaxante muscular e ao fuso horário maluco.

Pavilon Queen's Bay

Pavilon Queen’s Bay

Gastos do dia 07:

  • 900 bath –2 tickets barco para Ao Nang
  • 80 bath – Consumo água hotel
  • 123,72 bath – 2 almoços hotel
  • 150 bath – Double drink
  • 100 bath – Double beer
  • 470,80 bath – 2 jantas hotel

Dia 08: Hong Island e Railey Beach – Ao Nang – Krabi

Acordamos cedo para o café, uma curiosidade sobre a Tailândia é o café, o café deles seria o nosso almoço, com salada, frango, macarrão, arroz e etc. Completinho, claro que sempre tem as opções para turistas, tem o café americano com bacon, ovos e waffles (meu preferido! Haha) e sempre tem pão com geleia, cereais e iogurte.

Quando descemos nossa van já esperava no lobby para o passeio de Hong Island. Optamos pelo Speed Boat dessa vez, que tinha mais conforto e era muito mais rápido que os Long Tail Boats, negociamos o valor e não teve muita diferença de preço.

Já no píer de Ao Nang encontramos o nosso guia, supersimpático, atencioso e se esforçava muito para se fazer entender, só faltava desenhar hahaha os guias na Tailândia possuem um inglês muito difícil de entender, para os americanos principalmente, exemplo: two (dois) = tú, sim essa era a pronuncia, então ele gesticulava muito até que todos entendessem.

A primeira parada foi em Landing Island, também conhecida como Paradise Island e logo você entende o porquê desse nome, a ilha é um pedacinho do paraíso. A praia é pequena e bem escondida, dando aquele ar de praia deserta, é linda demais! Ficamos ali curtindo aquele visual por um tempo até seguir para a próxima ilha.

A segunda parada foi duas ilhas quase interligadas: Pakbia Island e Daeng Island. Que espetáculo da natureza, ficamos aqui 30 minutos contemplando aquele lugar. Encontrei um balanço e fui brincar, igual criança feliz, agradecendo por poder estar nesse lugar tão lindo.

A terceira parada foi em Hong Island Lagoon que fica pertinho de Hong Island, nada mais é que uma região quase fechada, com uma fenda entre as rochas por onde os barcos passam. Ali a água fica parada formando uma lagoa linda. Só paramos o barco para fotos e partimos para Hong Island.

A última parada foi em Hong Island Bay, onde almoçamos e ficamos mais 1h30 curtindo a ilha. Aqui pagamos uma taxa ambiental de 300 bath por pessoa. A água é morna e cheia de peixinhos amarelos, aquela água esverdeada e transparente.

A ilha também tem muitas árvores, então tem bastante sombra para relaxar. E no mar você via aqueles paredões de pedra típicos da Tailândia belíssimos. Ficamos curtindo aquele mar por um longo tempo, que delícia de mar! Até que chegou a hora de se despedir da ilha e voltar para Ao Nang.

Já na praia de Ao Nang comunicamos o guia que gostaríamos ir para Railey Beach, e ele disse que a van nos deixaria no ponto onde pega o táxi-boat para Railey Beach sem problemas, o restante das pessoas foram deixadas nos seus hotéis. O táxi-boat nada mais é que um Long Tail Boat Táxi, que leva e traz os turistas entre as ilhas próximas.

Não levou mais do que 10 minutos e estávamos em Railey Beach, e assim que cheguei fiquei admirada com a beleza do lugar. Bom, tudo na Tailândia é de tirar o folego! Alugamos um kaiak e por 200 bath (20 reais) tínhamos uma hora para usar o kaiak.

Fomos nos aventurar em alto mar e que delicia, o vento estava muito forte e não era tão fácil controlar o kaiak e com adrenalina era melhor ainda, entramos em uma caverna bem escura e com água transparente com o kaiak e fomos em todos os pontos da ilha desviando dos barcos com turistas, foi maravilho.

A sensação era ótima e desbravar aquele paraíso foi a cereja do bolo desse dia. O tempo passou muito rápido e logo era hora de voltar para o táxi-boat e voltar para Ao nang.

  • Fiz um vídeo mostrando esses dois passeios sensacionais: Hong Island e Railey Beach, confira abaixo.

Ao chegar no ponto dos táxi-boat, fomos explorar Ao Nang e encontramos um restaurante para jantar. Depois pegamos um tuk tuk e voltamos para o hotel, depois de um banho o cansaço pegou e caímos direto no sono, o sono dos justos.

Quer saber mais sobre os passeios Hong Island e Railey Beach? Fiz um artigo completinho sobre eles, clique aqui para ler. 

Gastos do dia 08:

  • 2000 bath – 2 passeios Speed Boat Hong Island
  • 600 bath – 2 taxas ambientais Hong Island
  • 40 bath – Salgadinho em Hong Island
  • 400 bath – 2 ida e volta táxi-boat Railay Beach
  • 200 bath – Uma hora Kaiak Railey Beach
  • 330 bath – 2 jantas e cerveja

Dia 09: Pavilon Queen’s Bay e ida para Chiang Mai

Pedi para fazer um check-out mais tarde, pois o nosso voo era a noite para Chiang Mai, meu pedido foi atendido pelo hotel e o check-out que seria as 11:00 da manhã, ficou para as 14:00 da tarde, sem pagar a mais por isso.

Tomamos um ótimo café da manhã, o café da manhã do hotel era muito diversificado, dificilmente você não encontraria o que deseja comer ali. Depois do café fomos curtir a piscina, aproveitei para pegar uma corzinha no sol. Saímos da piscina era quase uma da tarde, nos arrumamos e fizemos o check-out, só depois disso fomos almoçar, ali no hotel mesmo. A comida era ótima.

Como faltava ainda muito tempo para o nosso voo, ficamos no lobby do hotel esticados no sofá um tempo roubando a wi-fi, como eu tinha tomado mais um relaxante muscular para o braço, (sim, ainda doía!) estava muito sonolenta e confesso que dormi uma meia horinha no colo no namorado naquele sofá hahaha.

As 5:30 o hotel chamou o táxi mais em conta para o aeroporto, que era um van que nos levaria até um ônibus que levava de Ao Nang ao aeroporto de Krabi, tudo muito rápido em menos de meia hora estávamos no aeroporto.

Check-in feito online, foi só imprimir os bilhetes no self-check-in e ir para a área de embarque. Finalmente iriamos para a parte, que para mim, foi a mais esperada da viagem, os elefantes!

Em apenas duas horas de voo já estávamos em Chiang Mai, pegamos um táxi e fomos para o hotel, onde jantamos e caímos na cama, porque no dia seguinte cedinho o sonho se realizaria!

Gastos do dia 09:

  • 429 bath – Lavanderia hotel
  • 15 bath – Taxas hotel
  • 588 bath – Almoço hotel
  • 300 bath – 2 tickets van e ônibus Ao Nang para aeroporto de Krabi
  • 150 bath – Taxi aeroporto Chiang Mai para o hotel
  • 562 bath – Janta hotel

Dia 10: Patara Elephant Farm – Chiang Mai

Acordamos bem cedo e tomamos o café do hotel, o nosso guia chegou às 7:30 da manhã. O transporte até a reserva é incluso no pacote, fica a uma hora de distância, pois é em nas montanhas de Chiang Mai.

O carro era ótimo, superconfortável e éramos os únicos passageiros, o restante do grupo encontraríamos lá. São apenas 10 pessoas por dia na Patara Elephant Farm. Então se você quer fazer esse passeio, sugiro que compre ele ainda aqui do Brasil, porque são vários meses em lista de espera. No final do artigo vou deixar os links por onde comprei os passeios e informações sobre os hotéis.

Quando chegamos eu estava ansiosa, quando vi o primeiro elefante meu coração disparou, no primeiro momento eu fiquei sem saber como agir perto deles, mas fui incentivada a dar comida para eles e fazer carinho. Logo eu já tinha adotado todos os elefantes do lugar hahaha.

Os três primeiros que vimos eram uma família, o que é muito raro de se ver hoje em dia, por conta do crime conta os animais ser muito comum na Tailândia.

Ficamos um pouco com eles e tiramos algumas fotos, logo o guia falou que iriamos caminhar em uma trilha e que agora que a aventura iria começar! Andamos um pouquinho e logo avistamos aquele espetáculo, eram muito elefantes juntos!

Eu nunca tinha visto um elefante tão de perto, imagina 15! Eram enormes e de todas as idades, fomos apresentados a eles, e o guia escolheu qual seria o nosso elefante por um dia. Cada pessoa foi designada a um animal, e depois de nos apresentar, demos comida ao nosso novo pet para fazer amizade e aprendemos algumas palavras em Tailandês, para guiar os elefantes.

O meu elefante segundo o guia, era o mais “louco” hahaha não entendi porque ele me escolheu para esse elefante, sou tão normal! Hahaha O nome do meu elefante era Messinoi e fizemos uma dupla perfeita, eu mandava ele ir para esquerda, ele ia para a direita e eu caia na gargalhada.

Todos os outros elefantes obedeciam prontamente seus guias, mas eu adorei o meu com o jeitinho rebelde só dele. Cada elefante tinha o seu próprio guia, além de nós mesmos, era um nativo que ficavam com eles e com a gente o tempo todo.

Aprendemos a subir no nosso elefante, nada disso de gaiola em cima das costas deles para os turistas, sem nada, era eu sentada no pescoço dele com os pés apoiados nas orelhas, foi uma sensação incrível de estar mais alta que um elefante e ver o mundo de cima.

Fomos guiados a levar eles até um pequeno riozinho, para o primeiro banho. Joga água e esfrega. Eles adoram banho, adoram água e adoram comer. O Messinoi entre uma esfregada e outra dava um jeito de beliscar umas folhas das árvores.

Depois disso fomos levar os elefantes caminhar, exercício diário. Foi maravilhoso andar em cima de um elefante naqueles morros, olhando todo aquele verde e vendo como moravam e viviam os povos mais afastados da cidade na Tailândia.

Depois de um tempo andando com eles, chegamos em uma pequena cachoeira. Onde o guia orientou a todos a descer dos elefantes e subir um morri onde teria uma bancada e seria servido o nosso almoço.

Tive o privilégio de ser a única a subir a cachoeira com o elefante, o Messinoi era o único elefante que conseguia, e enquanto todos babavam e me invejavam ele escalou comigo nas costas cachoeirinha acima, foi incrível! Meu anjinho Messinoi me deixou bem na frente da mesa de refeições enquanto o restante do povo subia a pé.

Foi a melhor refeição que fiz na Tailândia, tudo muito simples, mas uma delícia. E foi onde provei muitas frutas e alimentos diferentes que não temos aqui no Brasil. As refeições são inclusas no pacote.

Depois de alimentados colocamos a roupa de banho para dar banho e nadar com os elefantes em um Rio maior agora, onde os filhotes podiam mergulhar. Estava muito frio e garoando, mas mesmo assim foi uma das melhores experiências da minha vida. Ficamos fazendo bagunça com eles na água e esfregando aqueles seres magníficos por muito tempo, todos se divertindo.

Além desse dia inesquecível ficar sempre fresco na tua memória, para ter certeza que você jamais vai esquecer, assim como os elefantes, a equipe da Patara Elephant Farm grava vários vídeos e tira fotos incríveis durante o dia todo, que lhe é entregue em CD no final do passeio.

Infelizmente chegou a hora de dar tchau aqueles queridos animais e seus defensores, foi emocionante levar um pouquinho deles, e deixar um pouquinho da gente para eles.

  • Fiz um vídeo mostrando o meu dia com os elefantes na Patara Elephant Farm e explicando direitinho como funciona, confira abaixo:

Depois disso nosso motorista nos levou para o nosso hotel, onde jantamos e dormimos como uns anjinhos após esse dia cheio de aventuras.

Quer saber mais sobre a essa incrível experiência com os elefantes na Tailândia na Patara Elephant Farm? Fiz um artigo completinho sobre isso, clique aqui para ler

Se você vai visitar a Tailândia, existem dois passeios que eu considero imperdíveis: Patara Elephant Farm e Sleep Abord Maya Bay, anota aí!

Gastos do dia 10:

  • 75 bath – 7 Eleven salgadinhos
  • 11600 bath – 2 passeios elefantes Patara Elephant Farm
  • 541 bath – 2 jantas hotel

Dia 11: Templo Doi Suthep e Chiang Mai Zoo

Acordamos cedo, tomamos café e fomos atrás dos famosos mini-bus vermelhos de Chiang Mai para nos levar para o templo Doi Suthep e para o zoológico. A ideia inicial quando comecei montar o roteiro era fazer o Tiger Kingdom também, mas depois de ler alguns relatos que falaram negativamente do local, denunciaram maus tratos ao animais, eu desisti de conhecer.

Pesquisamos bastante o preço dos mini-bus e fomos com o mais barato, que nos levaria até o templo, esperaria por nós lá por duas horas até que visitássemos o templo e depois nos levaria até o zoológico, que é próximo ao templo, próximo não porque Chiang Mai é enorme, mas ficava do mesmo lado. A volta do zoológico era por nossa conta.

O templo fica bem nas montanhas de Chiang Mai, então faz bastante frio, principalmente com o tempo fechado.

O templo estava lotado, lotado mesmo, não tinha como se mexer sem bater em alguém. E além das montanhas que subimos de carro, ao chegar ainda tinha que enfrentar a escadaria enorme até chegar ao templo, mas vale a pena. O templo é lindo, assim como todos os templos tailandeses, o dourado é a cor predominante.

Uma hora é tempo suficiente para ver tudo e tirar muitas fotos, depois disso voltamos para o nosso mini-bus, que nos deixou no Zoo, que fica praticamente no pé do morro do templo Doi Suthep. Nos despedimos do motorista e entramos no zoológico.

O zoológico de Chiang Mai só entrou no meu roteiro porque eu sou fascinada pelos pandas e estava ansiosa para finalmente vê-los. O zoológico é enorme e os animais aparentemente são saudáveis e bem cuidados, o diferencial do zoológico, além dos pandas, é que você pode tratar os animais, com a comida apropriada, é claro.

Dentro do zoológico tem um ônibus que passa em vários pontos, acredite é enorme e você não conseguira ver tudo a pé, principalmente com crianças, você paga um ticket e pode visitar todos os pontos, entrando e saindo dos ônibus que passam pelo valor de apenas um ticket.

Tudo estava indo bem, conseguimos ver muitos animais que eu nunca tinha visto. Vimos os pandas, para ver os pandas você tem que pagar um valor a parte, além do ticket para entrar no zoológico você paga outro ticket para entrar na Casa dos Pandas.

Que animais lindos e dorminhocos! Eles tentaram recriar o habitat natural dos pandas, o lugar é protegido por vidros e tem muito ar-condicionado.

Vimos vários outros animais magníficos de outros países como os koalas, também vimos os rinocerontes, hipopótamos, jacarés, girafas, ursos, leões, zebras, orangotango, pinguins, uns macaquinhos lindos com cores diferentes e muitos outros animais.

Já quase na última parada do ônibus do zoológico, vi algo que me deixou com náuseas. Eu não gosto de zoológicos, nunca gostei, aceitei ir nesse pelos pandas e até pensei que talvez esse zoológico cuidasse bem dos seus animais, mas depois do que eu vi, mudei completamente de opinião.

Como um zoológico pode cuidar bem dos seus animais, se deixa um elefante acorrentado pela pata em uma arvore no sol? Sim, foi exatamente isso que eu vi!

E isso foi um dia depois que fizemos a Patara Elephant Farm, onde eu vi de tudo que aqueles animais magníficos precisam, eles precisam de espaço! Eles precisam de toneladas de comida, eles precisam de paz de espirito!

Me cortou o coração, o animal servia para levar turistas passear, com aquela gaiola nas costas, fazia truques para ganhar um petisco. Sem água e sem sombra. E aí a ficha caiu, se eles fazem isso com um animal, porque não fariam com os outros?

Nem desci no ônibus, simplesmente fomos para a última parada e saímos daquele zoológico. Meio sem rumo, fomos andando ainda tentando absorver aquilo.

Não sei se era o calor, ou o que eu tinha visto, ou a fome, ou o cansaço, mas eu tive que sentar para não cair. Paramos em um restaurante onde comemos e eu tomei bastaste água para hidratar, era hora de encontrar um tuk tuk e voltar para o hotel.

  • Fiz um vídeo mostrando o Templo Doi Suthep e o Zoo Chiang Mai, confira abaixo:

No hotel descansamos um pouco, e fomos jantar na rua do Night Market de Chiang Mai, uma rua super movimentada, não tão movimentada como aos domingos, que é o melhor dia para visitar, mas já deu para ter uma ideia, muitos restaurantes lindos, muita diversidade e muita coisa barata.

Depois de jantar, voltamos para o hotel, fizemos check-out e pegamos um táxi para o aeroporto, era hora de ir para Bangkok.

Está se perguntando porque voltamos para Bangkok? Tivemos que dormir no aeroporto de Bangkok algumas horas, pois nosso voo para Bali saia de lá na madrugada.

O voo de Chiang Mai para Bangkok foi de uma hora e depois nos preparamos para a segunda parte da aventura, conheceríamos um novo país, a Indonésia, mas o relato da Indonésia está em um novo artigo, ou esse ficaria gigante. Clique aqui para ler. Mas continue lendo que ainda tem mais aventura na Tailândia.

Sobre a Indonésia, já acrescento que foram alguns dos melhores dias na minha vida! Clique aqui para ler.

Gastos do dia 11:

  • 500 bath – mini-bus para templo e zoo para duas pessoas
  • 60 bath – 2 entradas templo Doi Suthep
  • 300 bath – 2 entradas zoo
  • 100 bath – 2 entradas Panda House
  • 60 bath – 2 tickets ônibus zoo
  • 298 bath – 2 almoços
  • 100 bath – tuk tuk volta para a hotel
  • 70 bath – lavanderia
  • 370 bath – 2 jantas
  • 200 bath – táxi hotel aeroporto

Último dia na Tailândia: Khao San Road e Tatuagem de bambu

Na volta de Bali, chegamos no aeroporto as 3 da tarde e o nosso voo de volta para o Brasil era apenas a uma hora da manhã. Era tempo demais para desperdiçar, então pegamos um taxi e fomos para a Khao San Road curtir mais um pouquinho aquele lugar maluco e maravilhoso.

Comemos uma pizza ótima e tomamos uma cerveja, ficamos curtindo um pouco a Khao San Road e fomos finalmente procurar um tatuador para que eu pudesse levar um pedacinho da Tailândia comigo para casa, uma lembrança de tudo que eu vivi, a minha paixão gravada na pele.

Pesquisamos bastante até decidir, o desenho eu já tinha, mas queria que a tatuagem fosse de bambo (bamboo tattoo) e não de máquina. A tatuagem de bambu, é feita com gravetos de bambu com uma agulha na ponta, muito comum na Tailândia e pouco conhecia por aqui.

A maioria das pessoas diz que a tatuagem de bambu costuma doer mais que a tatuagem tradicional com a pistola, muito provavelmente porque essas pessoas não tem suas costas coberta com tatuagens. Eu não senti dor alguma, foi bem tranquilo.

E ao contrato do que muitos pensam aqui no Brasil, os traços não ficam grossos, a minha ficou super delicada e eu recomendo.

Fiquei encantada com o resultado, sai flutuando do estúdio, uma lembrança dessa viagem comigo para sempre, uma lembrança tão intensa como essa viagem foi para mim.

  • Fiz um vídeo mostrando como a tatuagem de bambu é feita, confira abaixo:

Saímos do estúdio e fomos para o aeroporto, era hora de enfrentar mais 24 horas de voo de volta para casa, mas me pergunte se eu faria novamente? Sim, faria! Foi a melhor viagem da vida!

Gastos do último dia na Tailândia:

  • 363,80 bath – Táxi aeroporto para Khao San Road
  • 1500 bath – Bamboo Tattoo
  • 50 bath – Escorpião assado para presente hahaha
  • 300 bath – 2 jantas e águas
  • 400 bath Táxi Khao San Road para o aeroporto

Espero que a minha experiência na Tailândia tenha te ajudado, e não tenha restado dúvidas que conhecer esse paraíso vale muito a pena!

Vamos ao total de gastos da viagem?

Abaixo um vídeo explicando quanto custa viajar para a Tailândia:

Gastos pagos já do Brasil:

Passagem de ida e volta – São Paulo – Bangkok: R$ 3600,00 x 2

Total de hotéis Tailândia: R$ 2.343,66

Todos os voos internos da Tailândia, sem o voo ida e volta para a Indonésia: R$ 614,00 x 2

Passeio Sleep Aboard Maya Bay: R$ 314,00 x 2

Total em reais pagos do Brasil: R$ 10.171,66

Total gasto em bath na Tailândia: 40.407 que em reais daria R$ 4040,70

Total da viagem pela Tailândia: R$ 14.212,36 para o casal ou R$ 7.106,18 por pessoa.

O que barateou a nossa viagem foi que ganhamos os hotéis, o meu namorado como excelente funcionário que é, foi premiado pelo banco em que trabalha, merecidamente, com um voucher no valor de R$ 3.000,00 com o qual pagamos os hotéis ainda aqui do Brasil, o total dos hotéis entre a Tailândia e a Indonésia deu R$ 3500,00.

Então essa viagem para a Tailândia custou na verdade para nós: R$ 11.868,70 o casal ou R$ 5.934,35 por pessoa. 

Deixo vocês com a minha playlist que fiz durante a viagem, um vídeo por dia mostrando as aventuras no meu dia-a-dia na Tailândia e Indonésia. Clique aqui para ver direto no Youtube.

Como comprei os passeios por contra própria aqui do Brasil?

Comprei os passeios Sleep Aboard Maya Bay e o Patara Elephant Farm aqui do Brasil. Primeiro porque eram os dois passeios mais caros da viagem e assim poderíamos levar menos dinheiro no dia-a-dia durante a viagem, já que levamos dinheiro em especie. E segundo porque a procura é muito grande, deixando para comprar na hora dificilmente você conseguirá faze-los.

Sleep Aboard Maya Bay comprei pelo site da agência, clique aqui para acessar. Precisa de cartão internacional e você compra pelo site mesmo e recebe um voucher que devera ser impresso e entregue no dia do passeio na agência.

Patara Elephant Farm fiz a reserva online no site deles, clique aqui para acessar o site. Após a reserva eles vão te mandar um e-mail confirmando. O pagamento é feito no dia do passeio.

Passagens internas: Comprei pelo site da Air Asia, clique aqui para acessar. Precisa de cartão internacional.

Gostou da viagem? Ficou alguma dúvida? Comenta abaixo e compartilhe para que mais gente descubra esse paraíso que é a Tailândia.

Importante: Pensando em ir para a Tailândia? Não se esqueça do Seguro Viagem, pois o atendimento no país pode sair muito caro!

Seguro viagem asia 728x90

Leia também:

92 Comentários

  1. Bruno Martinez

    Oi Cheila, parabéns pelo blog… Super bem explicado!
    Vou pra Tailandia com minha esposa e meu filho (2 anos) em março/2018.

    Poderia me dizer se você contratou algum guia para conhecer os templos de bangkok ou fez por conta mesmo?

    E se você tem alguma dica para quem vai com criança?

    Vlw!!!

    • Olá Bruno! Fiz tudo por conta e recomendo viu, o inglês dos guias é péssimo hahah fica bem difícil de entender e para chegar nos templos é super fácil também. Tenho certeza que a criançada vai adorar! Vocês vão para Chiang Mai? Sugiro o zoológico lá, a criançada vai a loucura podendo tocar e dar comida para os bichos.

  2. Rossana

    Olá Cheila, parabéns pelo blog, muitas dicas de ouro. Meu marido e eu já estamos com passagens compradas para 12/03/18, 45 dias pela Tailândia, pretendemos alugar uma moto e fazer todo o Sul da Tailândia, incluindo Cambodja. Saberias me dar dicas sobre aluguel ou compra de moto?
    Sou vegetariana, e a alimentação de lá é basicamente de animais, frutos do mar… ai ai ai vou ter o que comer? rsrsrs
    Mais uma vez parabéns pelo excelente blog, obrigada

    • Olá Rossana! Não se preocupe tem vários restaurantes que vi por lá com opções vegs e nos passeios alguns perguntam para fazer as refeições. Só aluguei moto em Bali, na Tailândia não, mas se informa nas agencias por lá que deve ser bem simples o processo. Aproveitem!

  3. Diego Brandao

    No total, Tailândia e indonesia quanto tempo de viagem para se conhecer tudo com tranquilidade?

  4. Miga, você é planejada e organizada que nem eu rs.
    Consegui comprar uma passagem pela Emirates, São Paulo x Bangkok por 2.700, achei uma boa compra.
    Estou indo pra lá sexta feira agora (29/04) e também já deixei todos os vôos internos comprados, hoteis pagos, seguro-viagem, tudo certo, agora só ir pra lá e torrar tudo rs. Infelizmente acho que vou pegar dias de chuva nas praias, mas não tive outra opção, pois é meu período de férias aqui na empresa.
    Eu estava pensando em ir pra Ayuttaya de trem, pois cheguei a ver em alguns blogs que a passagem custa 20 bath e tem uma vista legal no trajeto, mas confesso que depois que vi no seu orçamento o preço pra ir de van e que ela ainda busca no hotel, fiquei inclinada à mudar de opinião. Seu blog muitíssimo bem escrito, parabéns! Gostei muito de você abrir os valores.
    Vou chegar num vôo que chega lá meio dia, até sair do aeroporto e bla bla bla acredito que não vai dar pra fazer muita coisa no primeiro dia, mas vou aproveitar a sua ideia de ver o por do sol no templo, acredito que isso dá pra fazer!
    Um beijo!
    Eu tenho um blog (magrinho) de viagem, tem algumas poucas coisas, mas enfim.. quando dá eu tento dar uma viajada e postar por lá e também tento deixar os valores pro pessoal saber http://www.tomaraquedecerto.com

    • Oi Ana, fico muito grata que tenha gostado! Obrigada pelo comentário, tenho certeza que você vai amar a Tailândia! Aproveite muito e boa viagem 🙂

  5. patricia santos

    ola, voce recomenda seguro saude, se voce fez, pode nos passar a empresa.

  6. Beatriz

    Oi Cheila! Adorei teu blog! Tenho uma duvida! Estou procurando alguns voos, e vi que possuem escalas em outros paises, como por exemplo, Paris, Londres, Dubai, etc. Para a Tailandia vi que não há necessidade de visto. Porém, para essas escalas seria necessário? Beijos!

    • Olá Beatriz, obrigada! 🙂 Você precisa de um visto de transito, depende do país, mas Dubai por exemplo você tira no aeroporto mesmo, procura se informar com a cia aérea, a Emirates por exemplo faz tudo pra vc! Beijo :*

  7. Alessandra

    Olá! Você lembra qual o nome do studio que você tatuou? Estou indo pra lá agora em abril e quero muito fazer um Sak Yant! Adorei o conteúdo é dicas!!!! Anotei tudoooo!!!

    • Obrigada Alessandra! Fico super feliz que tenha ajudado 😀 infelizmente não lembro o nome do studio 🙁 aproveite muito a viagem, tenho certeza que vai adorar! beijo

  8. Robson

    Oi Cheila, show de bola seu blog, amo viajar, me ajudou inclusive a escolher esses 2 destinos e quem sabe a China para ir no segundo semestre do ano que vem, já comecei a planejar! Gostaria de saber como são esses locais no quesito segurança… e para entrar na Indonésia necessita visto? E qual a validade (do visto)? Abraço!

    • Obrigada Robson! Fico muito grata que tenha ajudado 🙂 Bali não precisa de visto não. E quanto a segurança, em momento algum me senti insegura, principalmente em Bali, as pessoas respeitam demais, deixávamos as motos com os capacetes em cima na rua e ninguém mexia, agora imagina fazer isso no Brasil.

      • Robson Lopes de Sá

        Obrigado! Nossa, acho melhor nem imaginar em fazer isso no Brasil hehe

  9. Giovanni

    Cheila, muito show seu blog, deu para entender perfeitamente, parabéns. Eu e minha mulher iremos para a Tailândia em Dezembro, já estamos com as passagens =D. Gostaria de saber se vc cogitou ir para para Phuket já que ele é o nosso destino depois de Bangkok, se sim, pq escolheu Krabi? Pretendemos ir para Phuket pq dizem que a noite lá é pior que “oq acontece em Vegas fica em Vegas” rsrs. Pretendo fazer mais algumas perguntas até chegar a nossa tão esperada viagem. Desde já agradeço.

    • Olá Giovanni, tudo bem? Obrigada! Fico grata que tenha gostado. Krabi é mais família, um pouco menos agitada. Phuket é mais agitada e ouvi bastante da prostituição que era mais tenso por lá. Como não fui em Phuket, não posso falar nada, optei por Krabi. A praia de Ao Nang em Krabi, onde fiquei é de onde saem os passeios, não é das mais bonitas, mas é bem equipada em hotéis e comércio.

  10. Pingback: Como passar a noite em Maya Bay, a praia mais famosa da Tailândia | Gostaria De Ir

  11. Letícia Simon

    Oi Cheila…adorei o blog…o que gostaria de saber é quanto tempo antes você comprou as passagens aéreas (tanto saindo do Brasil quanto os voos internos por lá) e fez as reservas de hotel? Abraço…

    • Obrigada Letícia! Saindo do Brasil comprei 8 meses antes e ao voos internos 3 meses. Hotéis também 8 meses antes, assim que comprei as passagens já reservei os hotéis.

  12. Laryssa

    AMEI!!!
    Estou planejando uma viagem pra Tailândia com a minha prima e os seus relatos só me fazem querer ir o mais rápido possível. Fiquei apaxonada pelos elefantes <3 deve ser maravilhoso.. Vc comprou o passeio com os elefantes quanto tempo antes?
    E vc achou a Tailândia um lugar seguro?
    Parabénss pelo blog, os videos etc. Show de bola <3

    • Olá Laryssa, comprei 7 meses antes 🙂 Obrigada pelo carinho! Tenho certeza que vai amar a Tailândia.

  13. Ana Paula Marochio Bohac

    Ola!!! Gostei mto do seu blog e com dicas otimas!! Sem contar as
    Fotos que nao tem como nao sairem lindas… Tenho uma pergunta: Eu e meu namorado vamos para tailandia em julho… E iremos fazer alguns voos internos, pois vamos tbm para malasia e indonesia.
    Queria saber se vc teve algum problema para comprar sua passagem na air asia? Conseguimos comprar para Krabi sem problemas…
    Agora os outros destinos nao consegue finalizar a compra.. Ja entramos em contato com o cartao e mudamos a opcao da moeda para
    Todos os tipos…por enquanto estamos presos em Krabi! Sem passagem de volta hahaha

    • Tive problema sim, meu cartão não liberava a compra hahaha mas liguei lá e consegui comprar normalmente. Liga no teu cartão e pede para eles ativarem compra no exterior e coloca o destino da passagem, o meu só consegui depois que fiz isso, por algum motivo ele só liberou depois disso.

  14. Pingback: Mochilão em Bali na Indonésia 2017 (gastos, passeios, restaurantes, hotéis, locomoção e cultura) | Gostaria De Ir

  15. Thatiana

    Estou APAIXONADA pelo seu blog!! Que arraaaso garota!! Amei cada dica e descrição das suas viagens (que aliás me ajudaram nas várias dúvidas hahahaha). Parabéns e muito sucesso pra você!!

    • Thatiana! Que delicia ler seu comentário! Obrigada pelo carinho querida! <3

  16. Marcela

    Perfeito o seu post, parabéns! Eu fiquei com muita vontade de programar uma viagem igual a sua! Muito obrigada por compartilhar com a gente 🙂
    A minha dúvida é a seguinte: você pode dizer o que levou na mala? Eu não consigo fazer uma mala pequena assim nem para um fds rsrs
    Gostaria de saber quais roupas você levou (quantidade tbm se possível) e como é o esquema para lavar roupas lá e se você acha que perdeu muito tempo para lavar as roupas.
    Me conta também em relação ao sol/filtro solar, se lá é muito forte e se vc teve que aplicar filtro o dia todo!
    Muito obrigada, bjinhos :*

    • Olá Marcela, tenho certeza que você vai se apaixonar pela Tailândia! Eu fiz um vídeo mostrando como fiz a mala e as peças que levei, veja aqui: https://www.youtube.com/watch?v=XCABO8puCPk não acho que perdi tempo lavando as roupas não, era deixar de manhã e pegar a tarde, e as vezes deixava no hotel quando o preço estava bom. Quanto ao filtro solar, sim o sol é bem quente, tem que passar sempre que sentir necessidade.

  17. Luciana

    To amando seu blog. Só para ficar sem dúvida mesmoooo, podemos considerar como custo Bali + Tailândia = 5.934,35 + 1.265,00 por pessoa?
    Quero começar a guardar dindin, e ter uma estimativa. Minhas férias são geralmente meados de agosto, 20 dias. É uma boa época para viajar ?

    • Luciana

      ahhh, esqueci…..rsrs…..não suporto maus tratos aos animais, sugere outro passeio. Não entro em zoológico por nada nesse mundo. Para baratear a viagem é possível ficar em hostel ? Já vejo uma pequenina diminuição de custos pela “gelada”, eu não bebo….hihihihi

      • Olha que tirando a gelada vai diminuir bastante os custos da viagem hahahah Em Chiang Mai, tem muuuitos templos e merecem a visita, é uma ótima troca pelo zoológico.

    • Esse é o valor sem os hotéis, você pode ficar em hostel, tem milhares e ótimos por lá. A melhor época para visitar a Tailândia é de novembro a março, nos outros meses costuma chover bastante, mas se você só tem essa época para ir, se fosse eu, iria mesmo assim hahah

  18. Douglas

    Nossa, não vejo a hora de tirar a mochila da gaveta e ir para esse paraíso. Você tem a lista de hotéis?

    • Olá Douglas, vai se apaixonar pela Tailândia! Segue a link dos hotéis: oquefazer.blog.br/onde-se-hospedar-na-tailandia-e-indonesia/

  19. Jessica

    Os R$7000 por pessoa já está incluso as passagens? Ou apenas os gastos na Tailândia?

    • Oi Jessica, R$ 7000,00 com tudo incluso, inclusive passagens de ida e volta do Brasil > Tailândia, todos os voos internos, hotéis, comida, cerveja gelada e até as lembrancinhas! 😀

  20. Beatriz

    Parabéns pelo blog! fiquei apaixonada por cada detalhe! Não vejo a hora de ir! :*

  21. Josiane

    Parabéns!!!! Deu vontade de sentar e planejar essa viagem também!!!! Excelente

    • Obrigada Josiane! Planeja sim! Tenho certeza que vai se apaixonar 😀

  22. Ana Claudia Mota

    Oiii,
    Iremos p Tailandia em agosto/setembro… Você consegue dar algumas indicacoes de hoteis, por favor?

    Obrigada

  23. lais

    Adorei suas dicas.
    Estou planejando uma viagem para a tailandia e indonesia também.
    Gostei muito do passeio 4 Islands que você fez em Phi Phi, gostaria de fazer o passeio, mas terei apenas a parte da tarde para isso, sabe se tem como? ou se da para fazer algo parecido?
    obrigada mais uma vez pelas dicas

    • Olá Lais, o passeio é incrível e vale muito a pena, fechando o passeio nas agencias você só vai conseguir os que saem pela manhã, porque é o horário padrão, não tem nada que saia apenas a tarde. O que você pode fazer é alugar um barquinho e fazer um private tour, aí você sai a hora que você quiser, tem vários lugares que alugam e você pode ficar o dia todo com o barco ou a apenas a tarde.

  24. Ótimo! Melhor relato que li até agora! Fui em 2014, me apaixonei e estou voltando agora em abril!
    Meu roteiro é bem parecido, mas no lugar da Indonésia farei as ilhas do Sul (Ko Phangam, Samui, Tao). Acha que vale a pena trocar? Indonésia é tão barata quanto a Tailândia?
    Muito obrigado por compartilhar a experiência e os custos tão abertamente

    • Fico muito grata que tenha gostado Leonardo! 🙂 Olha eu não posso te falar sobre essas ilhas do sul porque infelizmente não conheço porque não sobrou tempo na viagem, mas posso te falar da Indonésia, me apaixonei por Bali, foi amor a primeira viagem hahaha é bem barato também, quase a mesma média da Tailândia de gastos por dia. Da uma olhadinha no relato que fiz da Indonésia aqui: http://oquefazer.blog.br/o-que-fazer-em-bali-na-indonesia-relato-de-viagem/
      E qualquer dúvida é só deixar nos comentários! 🙂

  25. Lorena

    Ola
    Gostaria de saber quando mais ou menos voce comprou suas passagens? Pretendo ir na mesma epoca que voce foi agora e achei o preço bem bom. Obrigada

  26. Almir Picanço

    Olá, Cheila Anja. Você poderia dizer em qual hotel ficou em Bangkok? Muito obrigado!

  27. Mayra Melo

    Bom dia Cheila, adorei seu relato. Vou pra Tailândia em novembro, estou muito ansiosa. Gostaria de saber sobre o passei dos elefantes, entrei no site que vc indicou, mas não entendi muito bem. A reserva é feita por email? E eles dizem que existem vários locais com este passeio, qual vc escolheu?
    Obrigada

    • Olá Mayra, sim a reserva é feita por e-mail mesmo. Esse passeio é em Chiang Mai, único lugar que tem da Patara. Cuidado se for escolher outro, pesquise muito bem antes de ir. Boa viagem 🙂

  28. Evelyne

    Adoreeeeei suas dicas!!! Estou indo pra Thai em março, com 17 dias tb…queria fazer Bali! Alis, onde tao suas dicas da Indo??? Nao achei 🙂

  29. Erika

    Oi Cheila,

    Adorei as dicas, também vou pela Etiopian Airlines, gostaria de saber se você precisou de visto de transito?

  30. Amanda

    Parabéns pelo artigo.
    Vc viajou pra Phi Phi com 6kg de bagagem, onde deixou o restante de sua bagagem?

    • Não tinha restante de bagagem Amanda, sai do Brasil com 6kg apenas, optei por viajar só com a bagagem de mão e recomendo viu 🙂

  31. Mariane

    Ola! Obrigada por compartilhar a sua experiência, ajudou a montar o meu roteiro também. Podes passar os sites onde você comprou o Maya Bay Sleep Abord e as passagens aéreas dentro da Tailândia? Obrigada!!!

  32. Flávio Guará

    Boa tarde Cheila, estou indo para a Tailandia amanhã e suas dicas estão sendo super valiosas nesse momento que a viagem está tão perto. Por favor voce poderia me indicar o site da agencia que voce comprou o passeio pra Sleep Aboard em Maya Bay?
    Grato desde já.

  33. Samantha Gaia

    Muito legal seu post, muitas dicas, amei ! Eu e meu namorado estamos pensando em fazer tambem! So queria tirar um duvida, o valor total de gasto que voce postou esta incluso a indonesia ?

    • Olá Samantha, vocês vão se apaixonar pela Tailândia! 😀 O valor não está incluso Indonésia, apenas Tailândia.

  34. Gabriela

    Mto legal! E o relato de bali? Já tem? Vou pra lá em abril!
    Bjs

  35. Adriana

    Oi Cheila, adorei seu relato. Meu sonho de viagem é o sudoeste asiático, e claro que a Tailândia é ponto alto dessa viagem. Gostaria de saber se vc viu muita meninas viajando sozinhas? E se o passeio dos elefantes é um lugar legal, digo que não maltrata os animais. Pq já li vários relatos que lá tem muitos lugares assim. Obrigada.

  36. bruna patric

    Oi nossa, que tudo fiquei com mais vontade de ir, na verdade já estou com passagens compradas estou olhando blogs e mais blogs para ver os hotéis, irei fazer mais ou menos o mesmo roteiro só não bali infelizmente…
    Mais não vi os nomes dos hotéis que você ficou, e nem os sites que você já comprou antecipado os passeios. poderia depois me passar?
    E depois me explique mais como seria essa consultoria, gosteii hahaha e em pensar que posso ajudar a você a viajar mais e mais e postar detalhe por detalhe só me motiva mais.

  37. Roger

    O artigo ficou muito bom se não fosse vc repetir toda hora que estava com dor por causa de uma massagem, deixa de mimimi mulher, não aguenta uma massagem é? rsrsr

    • Velhooo kkkk o problema nem foi a massagem, eu que tenho problema nas articulações mesmo, mas o erro foi meu que não falei para o cara hahaha aí ele puxou sem dó, resultado: dor pra caralho. Não foi exagero não :~

  38. Luiz Costa

    Parabéns pelo Post ficou bem explicado, precisavamos exatamente dos valores publicados por vcs, vai rolar os nomes dos hotéis? nesse valor já está incluido os gastos na Indonésia??

    • Vai rolar o nome dos hotéis sim Luiz, os artigos estão no forno nesse momento hehehe logo sai, os valores são sem Indonésia, apenas Tailândia 🙂

  39. caroline s.

    Adorei seu post! Bem detalhado *-* Acho a Tailândia linda! Tô babando nas suas fotos, que camera você usa? hahah
    beijos

  40. DANILO

    Ola Cheila…parabens belas fotos… Estarei indo passar a lua de mel na Tailandia e praticamente faremos o mesmo roteiro que vc.. tambem sou daqueles que gosta de ler varios blogs antes de viajar e adquirir varias infs antes…. obrigado pelas dicas do Blog…..Para as fotos vc utilizou qual maquina?.. gosta de utilizar algum programa de edicao de fotos?… parabens mais uma vez..Otima semana pra vc…

      • Danilo

        Obrigado Cheila..E mais uma pergunta se você permitir. Estas fotos que você tirou embaixo da água foi com celular mesmo? Ou usou um dome pra Go pro? Ficou bem legal a divisão entre fora e dentro da agua. Abraço!!

          • DANILO

            Ficaram perfeitas parabens pelo blog e pelas dicas… obrigado e minha viagem esta chegando farei acho que 95% do seu roteiro na minha lua de mel rs e suas dicas foram importantissimas.. uma otima semana

  41. Rose

    Que Legal,tô planejando essa viagem pro final da minha faculdade,mas será algo mais mochilão…ficarei em hostel,e fecharei os passeios lá mesmo.Vi que vc fechou o Passeio Sleep Aboard Maya Bay aqui mesmo do Brasil,foi um bom negócio?

    • Foi sim Rose, o valor era o mesmo no dia lá na agencia e pouco tempo antes também, a diferença é que já estava tudo esgotado. E a data disponível era para dali um mês, então recomendo que compre antecipadamente.

  42. Inesquecível!!! ✈ Parabéns pelo artigo meu amor, ficou excelente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *